Professores da rede estadual de ensino da Paraíba paralisaram as atividades nesta quarta-feira (24), durante 24 horas, para reivindicar uma reunião com o governador da Paraíba, João Azevêdo. O objetivo da reunião, de acordo com o Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação do Estado da Paraíba (Sintep-PB), é cobrar a implantação de uma pauta de valorização da categoria.

Em João Pessoa, os professores devem fazer uma marcha pelo Centro em direção ao Palácio da Redenção, sede do governo da Paraíba. Nas demais cidades com de sede de regionais de ensino, o Sintep-PB informou que uma comitiva de diretores e associados devem protocolar o mesmo ofício nas Gerências Regionais de Educação, pedindo a audiência.

Entre os pleitos do professores da rede estadual estão a aprovação do Plano de Cargos, Carreira e Remunerações (PCCR) unificado, respeito à carga horária dos profissionais da Educação, escolha direta para gestor escolar e elevação das gratificações e debater a situação das Escolas Integrais, Cidadãs e do Ensino de Jovens e Adultos (EJA).

OUTRO LADO

Em nota, a Secretaria de Estado da Educação da Paraíba informou que os representantes do Sintep-PB se reuniram com o secretário Aléssio Trindade no último dia 16 de julho. O secretário de educação repassou o pedido de reunião para o gabinete do governador, que está providenciando a data do encontro solicitado. As demais pautas de reivindicação estão em análise. As informações são do G1

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

UFPB divulgará novas datas para matrícula após quarentena do Covid-19

A Universidade Federal da Paraíba (UFPB) reitera, nesta quarta-feira (8), conforme Boletim Informativo divulgado no dia 24 de março, que estão suspensas as matrículas para ingressantes, via Sistema de Seleção Unificada (Sisu), e veteranos de cursos dos campi I (João…

Representantes da UFPB e UFCG comentam impactos durante a pandemia do coranvírus

Em plena pandemia do coronavírus no mundo, representantes da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) comentam sobre a realidade financeira das suas instituições.…