A pós-graduação da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) está cada vez mais consolidada e avançando em seu nível de excelência. Os dados da mais recente avaliação quadrienal da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal em Nível Superior (Capes) comprovam a evolução dos cursos stricto sensu da Instituição. O resultado revelou o melhor desempenho dos cursos na avaliação em 11 anos de existência dos programas de pós-graduação da Universidade.

Conforme os dados da Capes, os programas de Literatura e Interculturalidade, Ciências Agrárias, Ecologia e Conservação e o Mestrado Profissional em Formação de Professores avançaram da nota 3 para a nota 4 e para coroar ainda mais esse bom desempenho, o programa de Etnobiologia e Conservação da Natureza subiu da nota 4 para 5, o que é um indicador bastante positivo da evolução da pós-graduação da UEPB, acrescentando-se a isso o fato de que nenhuma pós caiu de desempenho na avaliação.

O programa de Etnobiologia e Conservação da Natureza, aliás, que conta com mestrado e doutorado em funcionamento no Câmpus de Campina Grande, através da parceria com a Universidade Regional do Cariri (URCA) e com a Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), é o primeiro da Universidade Estadual da Paraíba a atingir a nota 5.

Os outros programas que subiram de conceito, passando a ter nota 4, se juntam aos de Odontologia, Ciência e Tecnologia Ambiental, Relações Internacionais e ao Mestrado Profissional em Ensino de Ciências e Matemática, que já possuem essa nota. Com esse bom desempenho, agora metade dos programas de pós-graduação da UEPB possuem a nota 4, o que habilita a Instituição a solicitar a criação de mais cinco cursos de Doutorado.

Pró-reitora de Pós-Graduação e Pesquisa da UEPB, a professora Maria José Lima comemorou o resultado e enfatizou que essa evolução por meio da consolidação dos programas se deu com superação e comprometimento da Administração Central da Universidade que, em anos de crise e redução de verbas para pesquisa, com dificuldades nos repasses de recursos, não mediu esforços para que a pesquisa na Instituição não retrocedesse.

“Gostaria de parabenizar a todos os docentes pela responsabilidade, pelo esforço com que vêm se dedicando aos programas. Podemos dizer que apesar desses programas terem iniciado suas atividades nos últimos anos não tivemos queda e nem descredenciamento de nenhum programa da UEPB. O credenciamento na escala de avaliação é de 1 a 7. Temos muito a fazer ainda, mas acredito que estamos no caminho da consolidação da pós-graduação da UEPB”, comentou a professora Maria José.

A pró-reitora destacou que as conquistas são fruto de um conjunto de fatores e lembrou que, apesar das dificuldades nestes últimos anos de atividades, a Instituição conseguiu vencer os obstáculos, o que está demonstrado pelos resultados da avaliação da Capes. “Compreendemos que ainda estamos longe da excelência máxima, mas estamos a vencer todos os dias, encontrando soluções criativas e a estimulando o potencial de docentes e discentes”, frisou.

Maria José ainda ressaltou o apoio de parceiros como Embrapa, Universidade de Pernambuco (UPE), Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Universidade Regional do Cariri (URCA) e Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), que mantêm programas em associação com a Universidade Estadual da Paraíba, como fatores também fundamentais para o avanço da pós-graduação da Instituição.

Fazem parte das políticas da PRPGP o financiamento de traduções e publicações de artigos em revistas científicas qualificadas e, junto a Coordenadoria de Relações Internacionais (CoRI), a tradução das páginas dos programas para Língua Inglesa, o estímulo de docentes a estágios pós-doutorais e participação em eventos científicos nacionais e internacionais. Além disso, os coordenadores dos programas são incentivados a participar de eventos nacionais da área de conhecimento, com demais coordenadores, além de avaliações dos programas junto à Capes.

Para o pró-reitor adjunto da Pós-Graduação e Pesquisa da UEPB, professor Cidoval Morais, essa conquista reflete o empenho da Administração Central em apoiar a pós-graduação mesmo em momento de forte crise. Ele frisou que nos anos anteriores, quando a Capes cortou verbas da pesquisa, a UEPB custeou os recursos para que as pesquisas não parassem. Assim, os programas não sofreram interrupção. O coordenador geral de pesquisas da Instituição, professor Carlos Meneses, também comemorou o resultado e destacou o esforço da Administração Central na busca por excelência dos programas.

O reitor Rangel Junior ressaltou que o bom desempenho na avaliação da Capes reflete a “dedicação, competência técnica, escolhas adequadas, política justa e incondicional apoio a todos os programas na hora do maior sufoco”. Segundo ele, no futuro ainda haverá muitas conquistas a celebrar como resultado desses aspectos.

A equipe da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa reconhece o afinco e a dedicação de todas as pessoas que contribuem para este sucesso (docentes, discentes e técnicos administrativos), citando especialmente os coordenadores e adjuntos dos programas, que se esmeram na implementação e discussão das políticas institucionais da UEPB, através da Câmara de Pós-Graduação e do Conselho de Coordenadores, órgãos ligados à PRPGP que congregam os coordenadores e adjuntos dos programas para discutir e definir políticas de pós-graduação na UEPB.

Com 51 anos de história, a UEPB conta atualmente com 21 mestrados e cinco doutorados. Os cursos estão distribuídos nas grandes áreas do conhecimento da Capes (Ciências Sociais Aplicadas, Ciências Humanas, Linguística, Letras e Artes, Engenharias, Multidisciplinar, Ciências Exatas e da Terra, Ciências da Saúde, Ciências Agrárias, Ciências Biológicas). São seis mestrados profissionais, 15 mestrados acadêmicos, além dos cinco doutorados.

Atualmente, mais de 250 docentes atuam nos programas de pós-graduação, dentre os quais 189 são do quadro efetivo da UEPB. Nesses 11 anos de pós-graduação da UEPB foram formados 1.266 mestres e 38 doutores, conforme dados da PRPGP..

Redação com assessoria

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

UFPB vai ofertar 523 vagas em cursos superiores pelo Sisu 2020.2

A Universidade Federal da Paraíba (UFPB) vai ofertar 523 vagas na segunda edição do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) 2020, para ingresso no período letivo de 2020.2. As vagas serão…

Para desenvolver projetos de tecnologia, universidades brasileiras devem receber R$ 30 milhões

 Investimento será destinado a grupos de projetos de tecnologia     A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), com apoio do Ministério da Educação (MEC), selecionou, nesta semana, 11…