Por pbagora.com.br

Você sabe o que é uma usina fotovoltaica? Trata-se de uma estrutura composta por painéis semicondutores que geram energia a partir da radiação solar. Em outras palavras, é uma central que converte energia solar em energia elétrica. Nesta semana, entrou em funcionamento a usina fotovoltaica do IFPB campus João Pessoa, dando corpo ao projeto que teve início em fevereiro deste ano.

 

A técnica em eletrotécnica Karolina Castro, uma das responsáveis pela implantação, conta que a ideia de trazer a central solar para o IFPB já tem quase um ano, e surgiu por meio de uma visita ao Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), que já utilizava esse processo para gerar eletricidade e tem tido excelentes resultados.

 

Ela acrescenta que a usina em funcionamento tem uma capacidade produtiva de 95 kWp (medida de potência energética normalmente associada a células fotovoltaicas), estimando uma produção de cerca de 5% de toda a energia consumida mensalmente pelo campus João Pessoa, que gira em torno dos 16.000 kWh/mês no horário de ponta e 120.000 kWh/mês no horário fora ponta. “A gente espera uma economia anual de 60 mil reais. Pode parecer pouco, mas teremos outros benefícios agregados”, endossa Karolina.

 

A técnica ainda reforça que buscar formas sustentáveis de se produzir eletricidade é fundamental num momento em que a crise energética está tomando uma proporção cada vez maior no Brasil: “Geraremos energia limpa numa área que aproveita muito bem a captação da radiação solar, algo que será benéfico não só para o Instituto, mas contribui com o equilíbrio do sistema elétrico do país”. Também salientou a importância da aquisição do sistema para o barateamento da tecnologia fotovoltaica, que tende a ter os custos reduzidos com o aumento da demanda.

 

O Diretor Geral, Neilor dos Santos, complementou afirmando que a central solar é multifacetada, tanto pelo caráter sustentável quanto por ser uma prática de formação profissional dos estudantes. “O uso racional dos recursos energéticos tem uma repercussão para a sociedade, do ponto de vista econômico, pedagógico, social e tecnológico”, frisou. Ele ainda revelou que a instalação do sistema possibilitará a supervisão e acompanhamento online da produção e o consumo de energia. “Vamos saber exatamente o quanto estamos ganhando e o quanto estamos economizando com isso”.

 

Além disso, três placas fotovoltaicas e um inversor sobressalente (equipamento que faz a conversão de energia solar em elétrica) foram instalados em um laboratório e servirão para as aulas sobre energias renováveis.

 

Funcionamento

 

O sistema é integrado à rede de distribuição da Energisa Paraíba, dispensando a utilização de banco de baterias. Desta forma, a eletricidade gerada na usina será injetada nessa rede para consumo geral da população. Ao final de cada mês, um medidor bidirecional instalado dentro da subestação fará um balanço do quanto foi produzido e o quanto foi gasto pelo campus João Pessoa, que pagará à distribuidora a diferença entre os dois quantitativos.

 

Os painéis solares foram instalados nos telhados dos blocos de Química, Engenharia Elétrica, Telecomunicações e no estacionamento do campus, com um investimento de mais R$ 765.000,00. A projeção é de que em 10 ou 12 anos de funcionamento da central, os valores economizados sejam equivalentes ao investimento. Todo o equipamento tem vida útil de 25 anos.

 

A informação é da Comunicação Social do Campus, em João Pessoa.



Redação

 

Deixe seu Comentário