Equipes de Robótica do Instituto Federal da Paraíba (IFPB) participaram da Tercer Mercury Robotic Challenge Latinoamérica (Terceiro Desafio Mercury de Robótica da América Latina), evento realizado de 2 a 7 de abril, em Medellín e Bogotá, na Colômbia.

Do Campus Cajazeiras, a equipe participante foi o Grupo de Pesquisa em Controle, Automação e Robótica (GPcar), composta pelos alunos de Automação Industrial Natanael Queiroz e Gerberson Félix, e o professor Raphaell Maciel. Já a equipe Tatu-Guarani representou o Campus João Pessoa, com os estudantes de Engenharia Elétrica Luiz Torres e Manassés Mikael, e o professor Robério Paredes.

A equipe da capital paraibana conquistou a segunda colocação no Desafio, que reuniu 40 equipes dos Estados Unidos, Brasil, Guatemala, México e Colômbia.

“Esta foi, sem dúvida, a competição de maior nível de dificuldade que já participamos. Independentemente do resultado, foi um momento muito importante para nossa instituição que vem se destacando e alcançando prêmios internacionais. Em 2015, por exemplo, a GPCar ficou em segundo lugar na versão americana da Mercury; em 2016, a Tatu-Guarani foi campeã nos Estados Unidos e, em 2017, a equipe ficou em sexto lugar também no país”, frisou Robério.

“É difícil e ao mesmo tempo divertido estudar Robótica. Nosso protótipo foi desenvolvido extraclasse, como uma das atividades do grupo GPCAR”, disse Natanael, de Cajazeiras.

Eles levaram cerca de três meses para desenvolver o protótipo que tinha como missão, na competição, fazer um percurso pré-estabelecido e determinadas atividades. Todo o processo da competição foi feito remotamente, visto que o robô é controlado pela internet, via Wifi. Por isso a competição aconteceu em duas cidades: Gerberson ficou em Bogotá dando suporte ao trajeto feito pelo robô e Natanael fez o comando de Medellín.

Para Natanael Oliveira a experiência foi “única tanto no campo profissional como no pessoal. Profissionalmente aprendi muito com a troca de experiência e conhecimento com os alunos dos Estados Unidos, México, Guatemala e os colegas brasileiros. É sempre importante essa troca de saber porque voltamos para o campus com o conhecimento atualizado. E no lado pessoal também foi bem valiosa a experiência, as pessoas são muito acolhedoras na Colômbia e deu para aprender bastante da língua”, disse.

Mercury Robotic Challenge é uma competição internacional que ocorre anualmente desafiando seus competidores a projetar um robô que é controlado via internet, por meio de uma câmera localizada nele, percorrendo uma pista e executando algumas tarefas durante sua trajetória, a distância entre o robô e o motorista deve ter no mínimo 80 quilômetros. Este concurso foi desenvolvido em Stillwater Oklahoma – EUA, coordenado pela Universidade do Estado de Oklahoma – OSU, com a participação de universidades dos Estados Unidos, México, Brasil, Colômbia e Guatemala, que foi a equipe campeã.

 

Redação 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Jovem socioeducando do CEJ João Pessoa ganha concurso de poesia

Um jovem interno da Unidade Centro Educacional do Jovem (CEJ), de João Pessoa, recebeu prêmio de primeiro lugar em concurso de Poesia, durante Festival organizado pela Rede de Proteção Integral…

Reitor confirma investigação de suposta ameaça de ataque a estudantes da UEPB

O reitor da Universidade Estadual da Paraíba, professor Rangel Júnior confirmou ao Blog do jornalista Márcio Rangel, nesse final de semana, a existência de uma investigação da Polícia Civil sobre…