Por pbagora.com.br

A Plural Editora e Gráfica Ltda, responsável pela impressão da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), emitiu nota na tarde de hoje (1º) isentando-se de responsabilidade no vazamento do teste.

A editora, contratada pelo Consórcio Nacional de Avaliação e Seleção para a confecção de 9,4 milhões de exemplares da prova, afirmou que cumpriu as obrigações relacionadas à segurança e que uma equipe do consórcio acompanhou 24 horas por dia todo o processo produtivo.

Segundo a editora, há controle de acesso ao parque gráfico com catracas eletrônicas e câmeras de segurança. As áreas de equipamento de impressão e acabamento foram isoladas, com acesso restrito e utilização de detector de metais. Todo o resíduo industrial de impressão foi triturado na presença de representantes do consórcio. A Plural informou ainda que as matrizes de produção foram embaladas, lacradas em caixas e entregues aos representantes do consórcio.

Na nota, a editora destaca que todos os profissionais envolvidos na operação, inclusive impressores que trabalharam em máquinas, e profissionais de acabamento, assinaram termo de responsabilidade de sigilo, e declaração de não participação desta edição do Enem.

De acordo com a Plural, após a entrega dos serviços, que demoraram 36 dias e foram finalizados no último dia 20, o Ministério da Educação enviou carta registrando o “excelente desempenho da equipe”.

“Assim sendo, a Plural está certa de que não teve qualquer responsabilidade neste episódio e reafirma sua disposição em colaborar com as autoridades para os esclarecimentos dos fatos noticiados, inclusive com entrega de 122 DVDs com imagens da operação de produção das provas nas suas diversas fases.”
 

Agência Brasil