Por pbagora.com.br

 Uma viagem dos sonhos, a refletir-se nos olhos de quem vislumbrou novos horizontes, na pequenina Roblin, uma cidade de 1.774 habitantes, na província de Manitoba. Cinco meses estudando no Canadá podem ter transformado para sempre a vida da estudante do Liceu Paraibano, Maria Eduarda de Vasconcelos Maia, 16 anos, que participou do grupo de 50 alunos da Rede Estadual de Ensino que fez um intercâmbio no Canadá, por meio do Programa Gira Mundo, do Governo do Estado, e que trouxe, ao retornar à Paraíba, não só lembranças registradas na mente, pelos olhos azuis da estudante, nem nas fotografias, mas uma experiência de vida valiosa e transformadora, após a interação com outra cultura e métodos de ensino.

Maria Eduarda sempre foi uma aluna inteligente e de notas altas, mas segundo depoimento de sua mãe, Cláudia Maia de Vasconcelos, 38 anos, a estudante era até certo ponto desconcentrada nos estudos. Isso começou a mudar já no período em que Maria Eduarda concorreu a uma das 50 vagas do Gira Mundo e durante o curso preparatório para a viagem ao Canadá, quando a estudante passou a ser focada e totalmente disciplinada nos estudos, sendo bem-sucedida no seu projeto, retornando agora, em fevereiro, pronta para novos desafios.

A experiência de Maria Eduarda com outra realidade cultural e com novas metodologias de ensino e aprendizado ampliou o seu grau de observação. "A diferença que observei no Canadá é a opção do aluno de escolher e montar sua própria grade curricular, ou seja, as aulas que vai ter, de acordo com o que deseja fazer quando chegar na universidade. Então, se você quer fazer alguma coisa mais voltada para a matemática, escolhe mais as matérias de exatas do que de outras áreas. Acho isso bem legal", afirma.

Ela considera o Programa Gira Mundo inovador. "Quando fiz a prova, fui aprovada e comecei a fazer o curso preparatório para a viagem, vi que era realmente algo de verdade e que pode realizar o sonho de muitas pessoas. Estudar fora muda a sua vida, dá mais independência, pois você enfrenta muitos desafios. Lá no Canadá, eu tinha que pegar um ônibus para ir à escola, a Goose Lake High School, praticar incessantemente o meu inglês e me acostumar com um novo modo de vida, principalmente com a alimentação diferente. Isso nos obriga a ter foco e força de vontade para alcançar uma boa adaptação. Por tudo isso, o Gira Mundo é um programa transformador", reconhece a estudante.

Redação com assessoria do Programa