Por pbagora.com.br

A diretoria do Sintabfiscalizou na tarde de ontem, segunda-feira, dia 06, algumas escolas e creches municipais de Campina Grande com o objetivo de acompanhar o início do ano letivo e constatou que a realidade é totalmente diferente do que a propaganda do prefeito Romero Rodrigues divulga no rádio e na TV.

A situação irregular que impediu o efetivo funcionamento do ano letivo foram três: falta de professores; falta de funcionários e falta de merenda. Ressaltando que os servidores não estão em greve.

Os prejudicados até o momento são os alunos de baixa renda, impossibilitados de usufruir o que a propaganda promove. O diretor do SintabFranklyn Barbosa lamenta que a realidade não seja a mesma que é divulgada na mídia.

“Conclamamos o Ministério Público a visitar a estas unidades e cobrar do prefeito. Quando os servidores entram em greve o discurso é que compromete a aprendizagem e prejudica os alunos. Esperamos que esta mesma concepção seja usada com a falta de funcionários e professores”, argumentou Barbosa.Confira o vídeo completo aqui.

Foram somente 07 unidades escolares fiscalizadas. Esta é só uma pequena fração das dezenas de unidades escolares municipais. Talvez a realidade nos outros estabelecimentos de ensino não seja tão diferente do que as apresentadas aqui até o momento. O Sintab continuará a fiscalização até o efetivo funcionamento.

Nenhum aluno sem aula e sem escola. Confira abaixo a lista de escolas e creches visitadas e as situações irregulares que apresentam.Para mais informações, entre em contato pelo fone 3341-3178, através do e-mail ascomsintab2015@gmail.com ou pela página Sintab PB.

• Creche Municipal Beatriz Hamad Gomes: iniciará o ano letivo quarta-feira, dia 08;

• Escola Municipal José Virginio de Lima: Começou as aulas com meio turno, devido à falta de merenda;

• Creche Municipal Maria Emília Cordeiro Pedrosa: encontra-se em reforma e só iniciará o ano letivo no dia 13 de fevereiro;

• Escola Municipal Padre Emídio Viana Correia: das 5 salas de aula, somente duas estão em pleno funcionamento, devido a falta de professores;

• Escola Municipal Luiz Joaquim Avelino: Devido a falta de merenda, as aulas só tiveram meio-turno pela manhã e tarde;

• Escola Municipal Dr. Heleno Henriques: Falta 1 professor, das cinco turmas disponíveis;

• Escola Municipal Galba Farias de Melo: Não iniciou o ano letivo devido a falta de funcionários; também está indisponível professores para o turno da tarde.

As informações e fotos foram divulgadas pela assessoria do Sintab.



PB Agora