Sem inspiração ofensiva, o Brasil não conseguiu furar o bloqueio defensivo da Venezuela e ficou no empate sem gols, na Fonte Nova, na noite desta terça-feira, 18. Com a igualdade no placar, a seleção somou mais um ponto e chegou a quatro pontos, se mantendo a liderança pelo saldo de gols maior do que o 2º colocado, o Peru, que venceu a Bolívia.

Os comandados pelo técnico Tite tiveram a maior posse de bola, mas criaram poucas chances reais de jogo. Referências ofensivas da seleção, como Phillipe Coutinho e Roberto Firmino, tiveram apresentação apagadíssima. As escolhas do treinador para mudar o panorama da partida também não fizeram efeito.

O Brasil até balançou as redes: três vezes. Entretanto, o árbitro marcou irregularidade em todas, com auxílio do VAR, mantendo o placar inalterado. Com o empate, classificação para o mata-mata só será decidida na última partida da fase de grupos, diante do Peru.

Na 1ª etapa, domínio brasileiro da posse de bola. Entretanto, a permanência da pelota nos pés do time tupiniquim não se mostrou efetivo. O Brasil rondava a área da Venezuela, postada completamente atrás da linha de meio de campo, mas não criava lances reais de perigo para o goleiro Faríñez.

A rede da seleção “Vinotinto” até balançou, mas o árbitro da partida marcou falta de Roberto Firmino antes da finalização. Apesar de ir poucas vezes ao ataque, foram os venezuelanos que tiveram a melhor chance do 1º tempo com Rondón, tirando tinta da trave do goleiro Alisson.

Nos 45 minutos finais, o desenho tático do jogo se repetiu. O Brasil ostentando a posse de bola, mas com pouca efetividade ofensiva. A Venezuela mantinha o ferrolho defensivo com marcação utilizando os dez jogadores de linha atrás do meio de campo.

Tite tentou movimentar o placar colocando Gabriel Jesus no lugar de Richarlison, na volta para o 2º tempo. O camisa 9 até balançou as redes, mas foi marcado impedimento. Com a bola rolando, Fernandinho substituiu Casemiro, gerando insatisfação na torcida presente na Fonte Nova.

Impaciente com o futebol apresentado, os torcedores passaram a pedir o cearense Everton. “Ah, é Cebolinha”, foi o grito entoado das arquibancadas. Tite, de imediato, atendeu e lançou o jogador no lugar de David Neres, mas de pouco adiantou.

O cearense criou belo lance que resultou no gol de Coutinho, mas árbitro invalidou com marcação de novo impedimento. No apito final, empate sem gols e vais da torcida pela fraca apresentação brasileira.

Total
0
Compartilhamentos
Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Inscrições do concurso para técnico da UFCG terminam na próxima 3ª

Estão sendo disponibilizadas 86 vagas. Vencimentos variam de R$ 1.945,07 a R$ 4.180,66 Terminam na próxima terça-feira, dia 23, as inscrições do concurso público para seleção de servidores técnico-administrativos da…

Justiça Federal manda União custear reforma da biblioteca da UFPB

Decisão liminar da 1ª Vara Federal prevê multa diária de R$ 20 mil em caso de descumprimento Em decisão liminar proferida nos autos de Ação Civil Pública (PJe nº 0806465-87.2019.4.05.8200)…