Sem inspiração ofensiva, o Brasil não conseguiu furar o bloqueio defensivo da Venezuela e ficou no empate sem gols, na Fonte Nova, na noite desta terça-feira, 18. Com a igualdade no placar, a seleção somou mais um ponto e chegou a quatro pontos, se mantendo a liderança pelo saldo de gols maior do que o 2º colocado, o Peru, que venceu a Bolívia.

Os comandados pelo técnico Tite tiveram a maior posse de bola, mas criaram poucas chances reais de jogo. Referências ofensivas da seleção, como Phillipe Coutinho e Roberto Firmino, tiveram apresentação apagadíssima. As escolhas do treinador para mudar o panorama da partida também não fizeram efeito.

O Brasil até balançou as redes: três vezes. Entretanto, o árbitro marcou irregularidade em todas, com auxílio do VAR, mantendo o placar inalterado. Com o empate, classificação para o mata-mata só será decidida na última partida da fase de grupos, diante do Peru.

Na 1ª etapa, domínio brasileiro da posse de bola. Entretanto, a permanência da pelota nos pés do time tupiniquim não se mostrou efetivo. O Brasil rondava a área da Venezuela, postada completamente atrás da linha de meio de campo, mas não criava lances reais de perigo para o goleiro Faríñez.

A rede da seleção “Vinotinto” até balançou, mas o árbitro da partida marcou falta de Roberto Firmino antes da finalização. Apesar de ir poucas vezes ao ataque, foram os venezuelanos que tiveram a melhor chance do 1º tempo com Rondón, tirando tinta da trave do goleiro Alisson.

Nos 45 minutos finais, o desenho tático do jogo se repetiu. O Brasil ostentando a posse de bola, mas com pouca efetividade ofensiva. A Venezuela mantinha o ferrolho defensivo com marcação utilizando os dez jogadores de linha atrás do meio de campo.

Tite tentou movimentar o placar colocando Gabriel Jesus no lugar de Richarlison, na volta para o 2º tempo. O camisa 9 até balançou as redes, mas foi marcado impedimento. Com a bola rolando, Fernandinho substituiu Casemiro, gerando insatisfação na torcida presente na Fonte Nova.

Impaciente com o futebol apresentado, os torcedores passaram a pedir o cearense Everton. “Ah, é Cebolinha”, foi o grito entoado das arquibancadas. Tite, de imediato, atendeu e lançou o jogador no lugar de David Neres, mas de pouco adiantou.

O cearense criou belo lance que resultou no gol de Coutinho, mas árbitro invalidou com marcação de novo impedimento. No apito final, empate sem gols e vais da torcida pela fraca apresentação brasileira.

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Governador publica edital com quase 200 vagas para contratar servidores

O Governo da Paraíba publicou um edital para contratação de 189 servidores temporários para atuação nos Centros de Referência Especializado da Assistência Social (CREAS), em várias regiões do Estado. De…

Reitor confirma investigação de suposta ameaça de ataque a estudantes da UEPB

O reitor da Universidade Estadual da Paraíba, professor Rangel Júnior confirmou ao Blog do jornalista Márcio Rangel, nesse final de semana, a existência de uma investigação da Polícia Civil sobre…