Por pbagora.com.br

Após dois meses de queda devido a pandemia do novo coronavírus, as vendas no comércio varejista da Paraíba cresceram 17% em maio, em comparação com o mês de abril, de acordo com a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) divulgada nesta quarta-feira (8) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O aumento aconteceu após dois meses de queda, segundo o IBGE.

Os dados do PMC, divulgados essa semana, mostram que o crescimento de 17% foi o segundo maior do Nordeste, atrás apenas de Sergipe que teve um aumento de 17,7%. Em comparação com maio do ano passado, as vendas foram 5% menores em 2020.

A pesquisa do IBGE também mostra que a Paraíba ficou acima da média nacional, que foi de 13,9%. O aumento de 17% nas vendas do varejo foi o maior resultado positivo levantado pelo IBGE em 20 anos no estado.

Já a arrecadação de impostos na Paraíba caiu R$ 238,9 milhões no segundo trimestre de 2020, em comparação com o mesmo período em 2019. O levantamento da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz-PB) divulgado ,essa semana também mostram uma queda de R$ 18,5 milhões no mês de junho de 2020 em comparação com junho de 2019. A queda é reflexo da crise econômica que o Brasil atravessa devido a pandemia do Covid 19 e as medidas de restrições para evitar o contágio do vírus.

Outro levantamento mostrou que o Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCD) também teve queda, de 28,63%, com arrecadação R$ 400 mil menor que no ano passado.

O Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) foi o único que apresentou alta entre os anos. No início de junho deste ano, foi arrecadado R$ 6,5 milhões a mais que no mesmo período do ano passado, um acréscimo de 83,3%.

Conforme os dados, neste segundo trimestre de 2020, em comparação com o mesmo período em 2019, houve redução de 78,80% no Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCD), 14,74% no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e 14,68% no Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA).

Dos 238,9 milhões, R$ 206,6 milhões se referem ao ICMS, representando 86,48% da perda do semestre.

SL
PB Agora

Deixe seu Comentário