O presidente da Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup), Tota Guedes, afirmou que a ajuda financeira do governo federal para os municípios darão um fôlego aos gestores, mas ponderou que em algumas cidades os recursos não serão suficientes para sanar dívidas com fornecedores e pagar os salários de dezembro e o décimo terceiro.

 

“Vai ser uma grande ajuda. Alguns municípios irão usar o dinheiro para pagar dívidas em atraso com fornecedores, vai dar um aquecimento, mas em algumas cidades não será suficiente, por conta de folhas em atraso”, declarou.

 

Ele negou que a liberação das verbas, prevista para o final de dezembro, esteja associada a uma ‘ajuda’ do governo federal para os prefeitos pressionarem os parlamentares para votar a Reforma da Previdência.

 

“O presidente não questionou o apoio dos prefeitos à reforma da previdência. Os R$ 2 bilhões foram um compromisso do governo federal feito no mês passado. O que ele alega é que com a aprovação da reforma, a economia vai melhorar, dará sinais de crescimento, da volta do trabalho, vendas no comércio e indústria”, disse.

 

Tota Guedes observou ainda que a matéria é de interesse das prefeituras e observou que, em caso de aprovação, passará por um período de transição.

 

“A reforma da Previdência é do interesse de todos, inclusive, dos municípios. Ela terá que ser enfrentada pelos governos. É preciso ter a consciência de que é preciso fazer alguma coisa para que não haja uma quebradeira como ocorreu em outros países”, finalizou.

 

Redação

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Feira agroecológica acontece em Campina Grande, nesta quarta-feira

Uma feira de produtos agroecológicos acontece em Campina Grande, nesta quarta-feira (16), em comemoração ao Dia Mundial da Alimentação. O evento acontece na Praça da Bandeira, entre 7h e 12h.…