O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSD), rebateu a nota de repúdio emitida pela Câmara de Dirigentes Lojistas da cidade (CDL-CG), através do presidente da entidade, Artur Almeida, contra a decisão de continuidade do fechamento do comércio até o próximo dia 20.

A CDL destacou que a prorrogação do decreto nº 4.463/2020 é um ato de irresponsabilidade por parte da Prefeitura Municipal, pois foi registrado baixo número de casos da Covid-19 na cidade.

Em entrevista concedida a uma emissora de rádio campinense, Romero disse que compreende as dificuldades, mas o fechamento do comércio foi realizado devido a um pedido da própria classe lojista.

– O que pessoas individuais da CDL pensam, para mim pouco importa. Na verdade, tentamos pautar desde o início desta crise em função da Covid-19 pelo diálogo, pela boa relação, pelo respeito às pessoas e pelo respeito às instituições. Compreendemos as dificuldades enfrentadas pelo comércio local. O fechamento, de forma antecipada, foi pedido dos lojistas do comércio – concluiu Romero.

O comércio de Campina Grande permanecerá fechado para conter avanço do novo coronavírus, de acordo com a Prefeitura. A decisão foi tomada em uma em videoconferência com a participação de representantes de entidades da classe dos comerciantes, Ministério Público e da Prefeitura de Campina Grande.

Segundo o decreto, o comércio deveria retornar nesta segunda-feira, mas a previsão foi adiada para o dia 20 de abril, assim como o decreto estadual.

SL
PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Vice-presidente da Caixa visita JP e recepção de funcionários surpreende

A visita de Paulo Henrique Angelo Souza, vice-presidente da Caixa Econômica Federal que pela imprensa chama os funcionários do banco de “heróis”, ficou surpreso com a recepção negativa em João…