Por pbagora.com.br

Os consumidores invadiram, literalmente o comércio do Centro de João Pessoa, ontem, na véspera do Natal. Todos queriam encontrar de última hora o presente dos filhos, da namorada, do namorado, dos pais, dos irmãos e dos amigos para a noite da troca de presentes que geralmente acontece na noite de Natal. Gerentes de lojas, principalmente de calçados, vestuário e celulares estavam felizes com os altos índices de vendas, que segundo eles foram além das expectativas.

 

Para alguns dos gerentes as vendas foram 10% a mais que o mesmo período do ano passado e devem aumentar até o fim do ano. O gerente de vendas de uma das lojas de calçados do Parque Solon de Lucena (Lagoa), afirmou que as vendas foram superiores às expectativas.

 

David Oliveira, gerente de uma das lojas de eletroeletrônicos, no Parque Solon de Lucena, disse que as vendas desde o início deste mês foram bem aquecidas. “As expectativas estão sendo superadas e acreditamos que vamos vender muito mais até o dia 31”, prevê David. A consumidora Erivaneide da Silva, disse que havia ido ao Centro da cidade em busca do presente do filho. “Apesar do calor, prefiro comprar no Centro da cidade, porque aqui a gente encontra preços mais acessíveis do que nos shoppings, basta pesquisar”, observou.

 

Já a aposentada Miranda do Nascimento, afirmou que foi ao Centro em busca dos presentes dos netos. Ela reclama da falta de espaço para caminhar por causa da multidão e dos camelôs nas calçadas, mas comemora os baixos preços.

 

A Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-JP) já autuou 17 lojas por irregularidades. O trabalho, segundo o secretário Helton Renê, encerrou a primeira etapa, mas deverá ser retomada amanhã, devendo se estender com as inspeções nos estabelecimentos comerciais até o dia 1º de janeiro de 2019.

 

As principais irregularidades dos autos de infração foram limitação do valor mínimo para uso no cartão de crédito, preço do encarte que não ‘bate’ com o preço do produto no caixa e descumprimento à legislação que obriga informações ao consumidor de forma clara e precisa. Helton Renê disse que as multas podem chegar a R$ 200 mil. A Operação Natal Seguro continuará percorrendo os shoppings e lojas do Centro da capital, além de realizar diligências oriundas das denúncias e reclamações dos consumidores.

 

Redação

 


Leia mais notícias sobre o mundo jurídico no Portal Juristas. Adquira seu certificado digital E-CPF ou E-CNPJ com a Juristas. Entre em contato através do WhatsApp (83) 9 93826000

 

Notícias relacionadas

Portabilidade de financiamento imobiliário é boa? Especialista dá dicas

Sim, fazer a portabilidade de financiamento imobiliário pode valer a pena. Dependendo do caso, é possível economizar uma quantia significativa, que poderá ser usada em outra despesa do orçamento ou…