Por pbagora.com.br

Para 41% da população brasileira, a criação de empregos deve ser a prioridade dos governos para 2021. Esse percentual sobe para 52% da população nas regiões Norte e Centro-Oeste. O tema preocupa mais as famílias com renda de até 1 salário mínimo. Nessa faixa salarial, 44% das pessoas consideram o emprego a prioridade para o ano.

Os dados são de pesquisa divulgada nesta 3ª feira (9.mar.2021) pela CNI (Confederação Nacional da Indústria). O estudo intitulado “Principais problemas do país e prioridades” considerou entrevistas com 2.000 pessoas em 126 municípios, nas 5 regiões do Brasil. Foram feitas de 5 a 8 de dezembro de 2020. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. Eis a íntegra (2 MB).

A melhoria dos serviços de saúde foi a 2ª resposta mais frequente, apontada por 39%. Os entrevistados podiam citar até 3 prioridades. Na sequência aparecem o combate à corrupção (35%), a melhoria da qualidade da educação (34%), e o combate à violência e à criminalidade (25%).

Também foram mencionados: o combate à inflação (18%), a redução de impostos (15%), o aumento do combate às drogas (12%), o aumento do salário mínimo (12%) e a ampliação dos programas de combate à pobreza (10%).

A pesquisa também perguntou aos entrevistados quais foram os principais problemas do país em 2020. O desemprego foi a alternativa mais escolhida (51%), seguida por saúde (41%), corrupção (31%) e segurança pública/violência (25%).

Apareceram com mais de 5 pontos percentuais os seguintes itens: drogas (18%), falta de moradia (13%), impostos elevados (11%), custo de vida/preços/inflação (7%), desigualdade econômica/social (7%) e impunidade (6%).

Redação com CNI