Brasília – As primeiras notas de corte do Sisu estão disponíveis. É possível acessar pela internet a nota mínima necessária para passar em cada um dos cursos oferecidos pelo sistema (Elza Fiuza/Agência Brasil)

O percentual de domicílios paraibanos em que a internet é utilizada passou de 60,7%, em 2016, para 72,2%, em 2018, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada ONTEM (29). As informações são referentes ao 4º trimestre de 2018, quando foi pesquisado o acesso dos domicílios brasileiros à Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC).

Neste período, a utilização da internet em domicílios na Paraíba ficou acima da média do Nordeste (69,1%). O percentual observado no estado em 2018 foi o 3º maior da região, atrás apenas dos registrados em Sergipe, de 76,7%, e no Rio Grande do Norte, de 73,5%. Entretanto, este número ainda está abaixo da nacional (79,1%).

No total, são 362 mil lares paraibanos sem internet. Os principais motivos apontados foram: o serviço de acesso era caro (35,2%), nenhum morador sabia usar a internet (28,8%) e a falta de interesse em acessar a rede (28,6%). Cerca de 2,6% disseram que o equipamento eletrônico necessário tinha um alto custo e 2,5% afirmaram que o serviço de acesso à internet não estava disponível na área.

A pesquisa identificou ainda que 93,3% dos paraibanos de 10 anos ou mais de idade usaram a internet para para enviar ou receber mensagens de texto, voz ou imagens por aplicativos diferentes de e-mail. Além disso, 91,9% das pessoas utilizavam para conversar por chamadas de voz e 48,9% utilizavam a rede para enviar ou receber e-mail. Cerca de 86,5% paraibanos usam para assistir a vídeos, inclusive programas, séries e filmes.

Jovens e mulheres paraibanas são os que mais utilizam internet no estado. Segundo a pesquisa mulheres representam um percentual de utilização de 67%, enquanto entre os homens, são 62,6% dos usuários. Os dois percentuais, porém, estão acima das médias de utilização na Região Nordeste, de 66,1% entre o grupo feminino e 61,6% no masculino.A faixa etária que apresentou o maior percentual de utilização da internet no estado foi a de 20 a 24 anos de idade, representando 88,3% do uso. Enquanto o menor número de usuários, cerca de 22,9%, foi o grupo de 60 anos ou mais. O levantamento indica que todos os grupos etários tiveram aumentos em comparação com o ano anterior, sendo o maior crescimento na faixa de 40 a 49 anos de idade, que passou de 56,6% em 2017 para 66,3% em 2018.A pesquisa também apontou que o rendimento real médio mensal per capita em domicílios em que havia utilização da internet, é de R$ 1.203. Aqueles em que não havia o uso da rede esse valor era de R$ 699.

 

Redação com IBGE

Deixe seu Comentário