Por pbagora.com.br
Brasília(DF), 07/10/2015 – Postos de combustíveis aumentam o valor do etanol. Posto Ipiranga 114/115 norte . Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

Na última segunda-feira (03), começou a valer em todo o país a nova gasolina. A Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (Resolução 807/202 da ANP), afirmou que o combustível tende a ter uma qualidade muito superior com melhor durabilidade, porém o custo será mais alto. A promessa é que a nova gasolina reduza cerca de 6% no consumo. Para o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado da Paraíba (Sindipetro), Omar Hamad, o valor pago pelo novo combustível será ditado pelo mercado e a cadeia dos combustíveis, composta por refinaria, distribuição e revenda, é influenciada por fatores externos e internos alheios ao próprio mercado.

“Os postos, que representam a revenda, são o último elo dessa cadeia e também o mais fraco, já que as margens maiores de lucro se concentram na distribuição. A refinaria é monopolizada pela Petrobras. Dessa forma, introduziu-se de uma massa específica mínima de kg/ m³ para a gasolina. A massa específica é a quantidade de uma substância em um determinado volume. Até então, não havia exigência. Essa mudança garante um rendimento maior da gasolina, contudo, o preço continuará a ser ditado pelo mercado, incluindo a concorrência, já que esse mercado é livre e altamente competitivo a partir das distribuidoras”, disse o presidente da Sindipetro.

Omar destacou ainda que as normas agora estabelecem uma massa específica mínima e um valor mínimo de octanagem RON para a gasolina, o que vai aproximar o produto ao padrão dos Estados Unidos e da Europa. “Na prática, a gasolina é mais densa, ou seja, o rendimento dela é melhor que a antiga, em torno de 6%. A nova gasolina polui menos o meio ambiente. Como ela tem um teor reduzido de enxofre – foi de 800 ppm para 50 – ela poluirá menos”, comentou.

Ela terá que ser oferecida em todos os postos de todo o Brasil. Os postos de combustível têm o prazo de 90 dias para adaptarem a nova resolução, prazo esse que já está contando desde a segunda-feira (03). Ou seja, os locais têm até o início do mês de novembro para efetuarem a regularização.

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Auxílio concedido por Bolsonaro aos MEI´s na Paraíba é insuficiente, alerta especialista

Mais de 5 milhões de microempreendedores individuais (MEI) tiveram acesso ao benefício do auxílio emergencial concedido pelo governo federal devido à pandemia da Covid-19. Esse número corresponde à metade dos…