Por pbagora.com.br

 É indiscutível a importância das contratações de profissionais com deficiência para a economia do Brasil e a inclusão no mercado de trabalho contribui para trazer dignidade a essas pessoas. Ao incluí-las, o mercado não está apenas ofertando um salário, mas também a oportunidade de reabilitação social e psicológica.

Na Paraíba, segundo dados da Fundação Centro Integrado de Apoio ao Portador de Deficiência (Funad), este ano, até o mês de junho, foram inseridas 120 pessoas com deficiência no mercado de trabalho, uma média de 20 pessoas por mês.

De acordo com a presidente da Funad, Simone Jordão, é preciso buscar qualificação e capacitação. “As pessoas com deficiência devem ser inseridas nos processos formativos, nas escolas, escolas técnicas e ensino regular onde qualquer cidadão busca. Defendemos a inclusão plena das pessoas com deficiência”, destaca.

O Sistema S, que é composto pelo Sesi, Senac, Sesc e Senai, oferece cursos profissionalizantes para que as pessoas com deficiência tenham acesso em pé de igualdade em relação às demais pessoas e em todos os espaços que procuram para se inserir, seja na formação, na universidade, no ensino técnico, e na escola desde a primeira infância.

“A primeira infância tem uma importância muito grande para as pessoas com deficiência como qualquer criança. Que ela seja inserida na escola e tenha direito ao acesso, esse é um dos primeiros pontos. Defendemos uma educação inclusiva para que um cidadão com deficiência tenha acesso no mercado de trabalho, que ele tenha acesso à escola considerando que a educação é a base de tudo, então, tem que ter o direito de percorrer todos os caminhos que qualquer outra pessoa que não tenha deficiência percorra”, ressalta.

A Funad tem um núcleo, chamado de Coordenadoria Profissionalizante, que além de trabalhar com articulação entre diversos órgãos do Ministério Público do Trabalho, Sistema S e Sine, atua também com a Secretaria de Desenvolvimento Humano de forma integrada, com o objetivo de melhorar os indicadores de pessoas com deficiência no mercado de trabalho.

Mantém também uma parceria com o Unipê, que oferece cursos na área técnica e de agente administrativo, e ainda um curso permanente na área de informática, encadernação e embelezamento.

Redação

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Mais de 120 lojas são autuadas em JP por descumprimento de medidas sanitárias

As ações da fiscalização da Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-JP), nos 11 meses de 2020, chegaram ao total de 2.857, somando 590 notificações e 154 autuações,…