Por pbagora.com.br

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje, no programa semanal de rádio "Café com o Presidente", que os juros prosseguirão em queda e que o dinheiro que hoje está "na especulação" vai para a atividade produtiva. "É isso que nós queremos para o Brasil", afirmou. "Vão reduzir a taxa de juros – sobretudo a taxa Selic – porque o controle da inflação e a estabilidade financeira do Brasil permitem. Reduzindo a taxa básica, todos os outros juros vão reduzir".

 

O presidente falou ainda sobre as propostas de modificações na caderneta de poupança, divulgadas na semana passada. Ele reiterou que 99% dos poupadores estarão "protegidos" e que a arrecadação de Imposto de Renda (IR) dos que têm mais de R$ 50 mil serve para que a poupança não seja usada como um fundo de investimento. Lula reafirmou que a finalidade da caderneta é assegurar que os poupadores que têm até R$ 50 mil vivam tranquilos e tenham "o seu dinheirinho" de reserva. "O restante, entendemos que são pessoas que podem investir em qualquer fundo."

 

Lula disse ainda, sobre a visita à Arábia Saudita, que há uma "extraordinária" coincidência de interesses entre aquele país e o Brasil. O presidente considerou a viagem positiva para poder aumentar o fluxo da balança comercial. "Penso que, a partir de agora, muitos outros empresários brasileiros viajarão para a Arábia Saudita e muitos empresários da Arábia Saudita viajarão para o Brasil", declarou, ao admitir que conta com o mesmo da visita à China e à Turquia.

 

Lula garantiu que quer fortalecer uma parceria "estratégica" com o governo chinês. Segundo o presidente, o fluxo da balança comercial com o país é "extraordinário" e pode desenvolver-se ainda mais. O presidente reúne-se hoje com o presidente da China, Hu Jintao. Em relação à visita à Turquia, Lula acredita poder mudar a ligação com o país, considerada por ele como "tímida".
 

Estadão

Deixe seu Comentário