Por pbagora.com.br

A Light, distribuidora de energia que atende a região metropolitana do Rio de Janeiro, fechou o segundo trimestre com lucro líquido de R$ 121,4 milhões, 68,8% abaixo dos R$ 388,6 milhões do segundo trimestre do ano passado.

 

A receita líquida no segundo trimestre atingiu R$ 1,273 bilhão, 1,9% abaixo dos R$ 1,298 bilhão de igual período do ano anterior. Já o lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda, medida de fluxo de caixa) foi de R$ 221 milhões, 34% menos que os R$ 334 milhões do período abril-junho do ano passado.

 

De acordo com a companhia, a queda no lucro ocorreu porque no segundo trimestre do ano passado o resultado sofreu o impacto positivo de reversão de provisões.

No primeiro semestre, o lucro líquido da companhia foi de R$ 289,7 milhões, uma queda de 41,1% frente aos R$ 492 milhões dos seis primeiros meses do ano passado. Já a receita líquida entre janeiro e junho foi de R$ 2,711 bilhões, uma alta de 3,7% em relação aos R$ 2,613 bilhões de igual período do ano passado.

Nos seis primeiros meses do ano, o Ebitda da distribuidora fluminense foi de R$ 570 milhões, uma queda de 11,2% em relação aos R$ 642 milhões dos seis primeiros meses do ano passado.

O consumo total de energia na área de concessão da companhia no segundo trimestre foi de 5.228 gigawatts-hora (GWh), um crescimento de 0,3% frente os 5.211 GWh de igual período do ano passado.

 

No mês passado, a Light realizou uma oferta pública secundária de ações, operação conduzida pelos acionistas BNDESPar, braço de participações do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), e EDF International. A EDF, da França, se desfez de todas as ações que tinha da Light.

 

Valor OnLine e da Reuters