Por pbagora.com.br

 A Justiça dos Estados Unidos aceitou nesta sexta-feira o pedido de recuperação judicial da TelexFree. O juiz Melvin Hoffman, da divisão de falências em Worcester, Massachusetts, permitiu que a empresa seja incluída no Capítulo 11 da Lei de Falências do país.

O mecanismo é utilizado para os casos de falência em que ficou configurada fraude, má gestão ou incompetência. A TelexFree, que está sendo investigada pela formação de pirâmide financeira, continuará funcionando, mas agora sob os cuidados de um interventor. Hoffman crê que os fatos mostrados pelas autoridades americanas sobre o caso justificam essa nomeação. A empresa entrou com pedido de recuperação judicial em Nevada, mas o caso foi transferido para Massachusetts.

A TelexFree afirmou que o objetivo da reestruturação é construir uma base financeira sólida, com perspectiva de longo prazo. A empresa é suspeita de ter montado um negócio fraudulento que levantou, ilegalmente, 1 bilhão de dólares ao redor do mundo.

Diferentemente do Brasil, o processo nos EUA está correndo rapidamente. Um dos sócios-fundadores, James Merrill, foi preso no início deste mês e a Justiça considera o brasileiro Carlos Wanzeler foragido. Seu advogado já afirmou ao site de VEJA que ele está no Brasil e não tem intenção de voltar ao Hemisfério Norte. Se condenados, eles podem pegar até 20 anos de prisão.

Há duas semanas, a polícia federal americana criou um site para que as vítimas da TelexFree se cadastrem, preencham um questionário e, assim, ajudem as investigações a detalhar com mais precisão a formação do crime.

180 Graus