Por pbagora.com.br

Em tempos de pandemia, afetando saúde e economia, com queda brutal de empregos, renda e faturamento em diversas atividades, o setor de aluguel de imóveis é um dos que mais sofreram perdas é o que garante o presidente do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis da Paraíba 21ª Região (Creci-PB), Rômulo Soares. Segundo ele, a locação de imóveis em 2020 teve uma queda de aproximadamente 50%, sendo 18% residencial e 32% comercial, em relação ao ano de 2019.

“Com o início da pandemia, em março do ano passado, muitos imóveis ficaram desocupados e os proprietários de apartamentos, casas, prédios e salas comerciais tiveram de pactuar com seus locatários um valor abaixo do mercado enquanto durasse essa pandemia, que se perpetua até os dias de hoje. O setor de locação que mais sofreu foi o dos imóveis comerciais e isso ocorreu porque muitas lojas e estabelecimentos fecharam suas portas nesses últimos meses por conta da crise”, afirma Rômulo Soares.

Para diminuir esse impacto, o presidente do Creci, sugere que o dialogo entre as partes sobre os ajustes anuais que acontecem no preço dos aluguéis ainda é a melhor opção, tanto para os inquilinos quanto para aos proprietários, de modo que os imóveis mantenham-se alugados.

“O mercado de locações de imóveis, na sua maioria, coloca nos contratos o IGPM para fins de reajuste contratual. Esse é o índice mais apropriado para esse nicho de mercado. O IGPM para reajuste dos aluguéis do mês de janeiro de 2021 foi bastante elevado, teve um aumento de 2,37% em relação a janeiro de 2020. Então, aconselho aos locadores a fazerem uma reflexão de que a pandemia ainda não foi debelada e conservem os valores pactuados no contrato”, comentou Rômulo.

Redação