A Paraíba o tempo todo  |

Governo vai colocar na internet lista com 2 milhões de devedores da União

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Os contribuintes que possuem dívidas com a União sendo executadas na Justiça terão seus dados colocados na internet. A lista será divulgada a partir de 1º julho no endereço www.pgfn.gov.br e será atualizada a cada 30 dias.

Hoje, estão em execução as dívidas de mais de 2 milhões de contribuintes, mas nem todos serão incluídos nessa lista. Ficam de fora, por exemplo, aqueles que estejam inscritos em algum programa de pagamento parcelado ou que conseguiram suspender o processo na Justiça.

A medida faz parte de uma portaria da PGFN (Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional) publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira.

De acordo com o procurador-geral da Fazenda Nacional, Luís Inácio Lucena Adams, a divulgação desse tipo de lista está prevista no Código Tributário Nacional e no Código de Defesa do Consumidor.

"Isso dá mais transparência, seja para o devedor saber localizar o problema dele, seja para quem for fazer uma operação com esse contribuinte", afirmou.

A Procuradoria vai permitir também que os contribuintes que estão na lista possam regularizar sua situação fazendo o pedido pela internet. A PGFN terá cinco dias úteis para responder ao pedido de regularização. Caso esse prazo não seja cumprido, o nome será excluído da lista até que haja uma resposta.

"Se a Procuradoria demorar dois anos para responder, ele fica dois anos fora da lista", afirmou Adams.

Serão divulgados três dados: nome do devedor principal e dos co-responsáveis e respectivos números de CPF e CNPJ; número da inscrição em dívida ativa da União; e a unidade da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional responsável.

A PGFN também pretende, ainda neste ano, disponibilizar esses nomes para os serviços de proteção ao crédito, como Serasa e SPC.

Em relação a possíveis erros na lista, o procurador afirmou que a lei já permite que se busque "compensações" na Justiça para quem se sinta prejudicado pela divulgação de dados incorretos, tanto pelo governo como por esses serviços.

 

UOL

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe