Por pbagora.com.br

A General Motors (GM) notificou nesta sexta-feira (15) a 1.100 das seis mil concessionárias que a empresa tem nos Estados Unidos que a montadora automobilística não renovará seus contratos em outubro de 2010, segundo informou a imprensa local.

 

O vice-presidente de Vendas na América do Norte da GM, Mark LaNeve, deve informar oficialmente sobre os planos da companhia ainda nesta sexta-feira.

 

A rede de televisão "CNN" disse que muitas das concessionárias às quais a GM não renovará os contratos devem

Donos de concessionárias das marcas ligadas à GM vivem um clima de tensão em todo o país.

"Isto é como uma sentença de morte. Este é o pior sentimento do mundo", disse Del Mugford, dono de uma loja em Richmond, Virginia. Ele comprou a concessão com o seu irmão mais novo em 2002, depois de possuir uma franquia da Oldsmobile. A GM Oldsmobile encerrou a sua linha de carros em 2004.

O plano de reestruturação da empresa indica que a companhia reduzirá em 40% sua rede de concessionárias nos Estados Unidos para garantir sua sobrevivência, o que representa um fechamento total de 2.400 lojas. A GM quer operar em 2010 com 3.600 concessionárias, assim que eliminar as marcas Pontiac, Saturn, Hummer e Saab.

Na quinta-feira (14), a GM fechou uma fábrica de caminhonetes que existia há 44 anos na cidade canadense de Oshawa, a cerca de 60 quilômetros de Toronto, o que representa a eliminação de 2.600 postos de trabalho. O fechamento da instalação faz parte da reestruturação da companhia e foi forçado pela drástica queda da demanda por caminhonetes.

Chrysler também fecha lojas

A montadora americana Chrysler, que recorreu ao pedido de proteção à lei de falências nos Estados Unidos, vai encerrar o contrato de 789 concessionárias que atuam vendendo seus veículos, conforme documento que integra o seu processo de recuperação judicial. Atualmente, a Chrysler tem contrato com 3.181 distribuidores, o que já uma queda expressiva em relação aos 4.320 que a companhia tinha em 2001.

A Chrysler recebeu US$ 4 bilhões em ajudas públicas do governo norte-americano, enquanto a GM recebeu $ 15,4 bilhões. A GM tem um prazo até o fim do mês para finalizar seu plano de reestruturação. Para muitos especialistas, a empresa continua a enfrentar muitos obstáculos e poderá também recorrer ao Capítulo 11 da lei de proteção à falência norte-americana, como fez a Chrysler. Se isso acontecer, a montadora provavelmente irá vender a maior parte dos seus ativos para uma nova empresa e liquidar o resto.

 

G1

Deixe seu Comentário