Por pbagora.com.br

Os Estados Unidos apresentaram um déficit orçamentário recorde de US$ 956,8 bilhões na primeira metade do ano fiscal de 2009, mais que o triplo do exibido um ano atrás, enquanto os gastos públicos com resgates financeiros e planos econômicos aceleraram, informou o Departamento do Tesouro nesta sexta-feira.

No mês passado, o governo teve um déficit de US$ 192,27 bilhões, recorde para o mês de março. O valor é quase quatro vezes maior que o déficit de um ano atrás, de US$ 48,21 bilhões.

As despesas de março saltaram para US$ 321,23 bilhões, incluindo gastos de US$ 46 bilhões para injetar capital nas financeiras do setor imobiliário Fannie Mae e Freddie Mac, controladas pelo governo, e US$ 10,6 bilhões para benefícios do Estado a desempregados. Em março de 2008, as despesas não passaram de US$ 227,02 bilhões.

Os gastos de março foram maiores, mas o governo federal deslocou cerca de US$ 15 bilhões em benefícios para o mês de fevereiro porque 1º de março foi um domingo.

As receitas de março caíram drasticamente, à medida que a economia deteriorada diminuiu as receitas em impostos de pessoas e empresas. Elas caíram 28% no último mês, para US$ 128,96 bilhões, ante US$ 178,82 bilhões um ano antes.

Somando-se à ajuda de capital para a Fannie e Freddie, o governo comprou US$ 17,38 bilhões em títulos de hipotecas de empreendimentos custeados pelo governo, marcando um montante de US$ 119,2 bilhões na primeira metade do ano fiscal de 2009, iniciado em outubro.

 UOL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.