Por pbagora.com.br

A malha fina é figura carimbada nos conteúdos sobre Imposto de Renda. Sempre vem acompanhada de algum alerta, e frequentemente é incluída em frases como “evite erros para evitar a malha fina” ou “cuidado com a malha fina”. Para falar sobre esse tema vigente foi escutado a delegada adjunta da Receita na Paraíba, Fabiana Moura, onde revelou que para facilitar a vida do contribuinte o órgão lançou a ‘declaração pré-preenchida’ através do Centro Virtual e-CAC. Ela também comenta sobre os riscos de entrar na malha fina.

Cair na malha fina da Receita Federal significa que a sua declaração ficará retida por causa de algum erro, como um valor incorreto, um rendimento omitido, informações cadastrais erradas ou até mesmo uma possível fraude em análise. “O objetivo é minimizar a incidência na malha fina, já que por ano, cerca de 5 mil paraibanos caem na malha”, comentou Fabiana, destacando ainda que por meio do portal e-CAC, portando CPF e senha, o contribuinte pode gerar o Darf e pagar o documento. Quando o contribuinte acessa a declaração pré-preenchida ela já vem com todas as suas informações. “A partir daí, ele só vai complementar, ou seja, se teve algum bem a mais, ou se teve algum rendimento que não consta lá, bem como alguma despesa e transmite”, afirmou. Até o final da manhã da última terça-feira (06), pouco mais de um terço dos contribuintes paraibanos (pessoa física) haviam declarado o Imposto de Renda 2021. Foram 113.360 declarações enviadas das 329 mil esperadas pela Receita Federal.

Fabiana comentou ainda que isso é bom para o contribuinte que tem mais de uma fonte e esquece que recebeu, afinal, a omissão de rendimentos é o maior índice de incidência em malha. “Porém, a gente só considera malha, depois que todos entregam as declarações, e depois que a Receita processa todas as devoluções”, diz a delegada.

Segundo dados da delegada num primeiro momento, muitos incidem em malha, mas antes de tudo, existem outras informações que precisam ser alimentadas e cruzadas. “Com tudo isso, no final de cada ano, cerca de 5 mil paraibanos, caem na malha fina”, comentou. Em 2020, 329.373 paraibanos entregaram os documentos até o fim do prazo que foi estendido por causa da pandemia de covid-19. De acordo com a Receita, o número foi superior às 320 declarações previstas.

Redação

Notícias relacionadas

Auxílio Emergencial: confira o calendário desta semana

Tem continuidade nesta semana, pela Caixa Econômica Federal (CEF) o pagamento do Auxílio Emergencial para os beneficiários nascidos entre julho e agosto. No domingo (18), o depósito foi para trabalhadores…