Por pbagora.com.br

É a primeira vez que o País empresta dinheiro para o Fundo, que utilizará a verba para ajudar países na crise

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, confirmou nesta segunda-feira, 5, que o Brasil vai gastar US$ 10 bilhões para comprar bônus do Fundo Monetário Internacional, para impulsionar o poder do FMI em ajudar países durante a crise global. É a primeira vez que o País empresta dinheiro para o Fundo.

"Nós passamos de devedores a credores", disse Mantega antes do encontro anual do FMI e do Banco Mundial, que começa nesta terça-feira.
 

Na sexta-feira, o diretor-gerente do FMI, Dominique Strauss-Kahn, pediu por um "aumento substancial" nos recursos dos membros, para que o Fundo possa agir como credor em última instância para oferecer estabilidade ao sistema monetário global.
 

O Brasil é o terceiro dos BRIC – Brasil, Rússia, Índia e China – a se comprometer a comprar os novos bônus do FMI. A China foi a primeira, prometendo adquirir US$ 50 bilhões, enquanto a Índia prometeu US$ 10 bilhões. A Rússia demonstrou interesse em comprar US$ 10 bilhões, mas não confirmou.
 

A aquisição combinada de bônus do Brasil, Índia e China representa um sexto do total de US$ 500 bilhões que o Grupo dos 20 países desenvolvidos e em desenvolvimento (G-20) se comprometeu no encontro de abril.
 

O ministro apoiou a decisão do governo em junho de comprar os novos bônus do FMI e disse que acordos bilaterais para a compra estavam quase concluídos, para "oferecer financiamento imediato substancial ao Fundo".
 

"Este é um momento historio para nós. É a primeira vez na história que o Brasil empresta recursos para o FMI e, portanto, para a comunidade internacional", disse Mantega em entrevista com alguns repórteres em Istambul. As informações são da Dow Jones.

Estadão

Notícias relacionadas

Caixa libera nessa sexta-feira novo saque do auxílio emergencial

Nascidos em novembro terão acesso ao saque de valores referentes ao primeiro depósito do novo lote do Auxílio Emergencial hoje (14), quando a Caixa Econômica Federal libera também a transferência…