O picadeiro está deserto. O palhaço temporariamente interrompeu o sorriso e as brincadeiras. Sem espetáculo, sem o picadeiro e sem o aplauso do público, os artistas do circo “Mundo Mágico” armado há três meses em Campina Grande, enfrentam dificuldades, e recorreram as lives como saída para superar o momento de crise, sem precendente na história da companhia.

Famoso por percorrer todo o Brasil, inclusive com alguns artistas nacionais, o Circo Mundo Mágico foi atingido em cheio com a pandemia. Há três meses que não acontece espetáculos devido as medidas de prevenção ao novo coronavírus. Isso porque a renda da bilheteria é a única fonte de renda dos mais de 30 artistas do circo.

Armado ao lado do Partage Shopping o no bairro do Catolé, na entrada da cidade, o gigante de lona não imaginaria que, após três semanas de espetáculos, a pandemia causada pelo Covid -19, chegaria com força a ponto de paralisar shows e espetáculos por todo o mundo. A comunidade circense sonha com o fim da pandemia e a volta dos espetáculos. A solidariedade do povo campinense tem amenizado a crise.

Uma saídas encontradas pelos integrantes do “Mundo Mágico Um Show de Circo”, com o apoio de colaboradores, foi a realização da Live – Amigos do Circo. Até o momento foram foram realizadas duas live solidária sendo uma no dia 4 de julho,através do canal do circo no YouTube e na página do Facebook (Mundo Mágico um Show de Circo)., e outra nesta quinta-feira (25). Além de atrações circenses, houve a apresentação de artistas da terra.

O Circo Mundo Mágico encontra-se atualmente em Campina Grande e está há quatro meses sem funcionar. Ele é formado por sete famílias, com 11 crianças, um idoso e 14 adultos, precisando de solidariedade e da doação de itens de alimentação e higiene pessoal. De acordo com a direção do circo, a prioridade com a realização da live é pagar a água, luz, gás, comprar água para as crianças, além de fraldas, leite e remédios.

Sem poder receber público devido o isolamento social recomendado para a prevenção contra o novo coronavírus, os circos foram afetados diretamente e fecharam as portas em todo o Brasil. Na Paraíba não foi diferente. Centenas de famílias de artistas envolvidas na rotina circense estarão sem o seu sustento e precisarão de ajuda neste momento em que a população precisa ficar em casa.

Com o isolamento social recomendado para a prevenção contra o novo coronavírus, muitas pessoas que dependem dessa interação para trabalhar estão em uma situação crítica,

Severino Lopes
PB Agora

Deixe seu Comentário