Por pbagora.com.br

Desde que encerrou a dupla com o irmão, Junior, Sandy vem se dedicando unicamente aos próprios planos. Encerrou a faculdade de letras, casou-se com Lucas Lima, e vem trabalhando caprichosamente no novo álbum, que deve no início de 2010 lançar sua carreira solo.

“O disco está em pré-produção. O processo está um pouco lento, mas é normal, por estratégias da gravadora e também de contatos com outros artistas e compositores. Mas tenho um repertório praticamente pronto. Muitas músicas compostas por mim, algumas em parcerias. Várias com o Lucas. É um disco muito autoral”, afirma, negando, no entanto, que as canções sejam puramente autobiográficas.

O marido interrompe e pede licença para opinar. Os dois sempre falam juntos, um parece completar os pensamentos do outro. “Minha visão de quem está acompanhando de fora: muitas músicas refletem o fim de 17 anos de ritmo frenético de trabalho”, analisa Lucas, referindo-se ao encerramento da dupla com Junior. “São letras reflexivas de alguém que não tinha muito tempo para analisar nada”.

 

Sandy concorda, e rapidamente completa: “E que, de repente, teve tempo para pensar”.

A faculdade de letras, ela conta, a deixou mais exigente com relação ao próprio trabalho. “Tecnicamente fiquei mais exigente. Sou muito autocrítica”.

 

Lucas aproveita para fazer piada com o excesso de zelo da mulher. “Ela compõe, aí eu digo que ficou bonito. E ela: ‘Não, mas está errado! Essa frase está no pretérito perfeito do subjuntivo’”, diverte-se.

Cinéfila

Sandy está com Lucas em Nova York desde a última sexta-feira (31) para o Cine Fest Petrobras Brasil-NY, mostra de cinema que reúne filmes brasileiros. O casal viajou a convite do diretor e amigo Fernando Grostein Andrade, de “Coração vagabundo”, documentário sobre Caetano Veloso. “O Fernando nos convidou para a exibição do filme aqui, coincidiu de termos disponibilidade nestes dias e viemos. Chegamos na sexta, passeamos um pouco, e por enquanto não compramos muito”, diz a cantora, que foi com o marido ver o musical “Shrek”.

 

 

Sandy conta que aprecia andar nas ruas de forma anônima. “Eu gosto muito. Acho que por um tempo é preciso descansar um pouco, sair despreocupada. E agora está bem mais tranquilo. Viemos para Nova York no início do ano e só tinha brasileiro. Era um passo uma foto, dois passos um autógrafo”.

A cantor se diz cinéfila e afirma que acompanha fielmente o cinema nacional. “Sou apaixonada pelo ‘Coração vagabundo’, vou ver pela terceira vez. Já vi também ‘Divã’ e gostei muito. Aprecio o cinema nacional. Sou cinéfila. Sobrando duas horas, a gente vai ao cinema ou aluga filme em casa.”

A vida doméstica, aliás, parece ir muito bem, obrigada. Sandy conta que adora cozinhar e que fazer cookies é sua especialidade. “Cozinhar, para mim, é uma terapia. O resto (das tarefas domésticas) eu detesto”, confessa, destacando em especial a aversão por passar aspirador de pó na casa. “Ela cozinha bem para caramba”, elogia o marido. “Quando começa a colocar açafrão no rango é porque já está muito bem”, dispara, divertindo-se.

 

G1