Por pbagora.com.br

Realizado pela Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc), o programa Espaço Cultural desta quinta-feira (23) traz mais uma série de músicas paraibanas lançadas durante a pandemia da Covid-19, a exemplo da semana anterior. É o quarto programa da série que destaca os produtos musicais criados ou executados nesta fase de isolamento domiciliar.

Além das canções, a edição faz um tributo ao cantor e compositor paraibano Pinto do Acordeon. O programa é transmitido pela Rádio Tabajara FM sempre às quintas-feiras, das 22h até meia-noite, com apresentação de Jãmarrí Nogueira e edição de Jader Finamore.

O programa contará com quatro blocos: um deles somente para músicas paraibanas lançadas nessa fase de pandemia, tocando canções nas vozes de Lucy Alves, Unidade Móvel, Toni Silva Cida Alves, Diego Machado, Banda Coalizão e Chico César.

Ainda terá outros dois com entrevistas e músicas de Cátia de França e Tássia Reis, que são as atrações do Julho das Pretas, sábado que vem, dia 25, a partir das 20h. Evento é uma realização da Secretaria Estadual da Mulher e Diversidade Humana, em parceria com a Funesc (que vai transmitir os shows em seu canal no YouTube).

O evento com esses dois shows virtuais marca o Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha (Dia de Tereza de Benguela). A data é celebrada desde 1992, em Santo Domingo, na República Dominicana, com a realização do 1º Encontro de Mulheres Afro-latino-americanas e Afro-caribenhas.
Além da transmissão pela Rádio Tabajara FM, o programa Espaço Cultural pode ser ouvido pelo site https://radiotabajara.pb.gov.br/radio-ao-vivo/ e no dia seguinte à apresentação, fica disponível no canal da Funesc no YouTube  (www.youtube.com/funescpbgov).

Pinto do Acordeon – Em mais de cinco décadas de carreira artística, Pinto do Acordeon projetou a cultura paraibana no Brasil e no Exterior, inclusive em apresentação no Festival de Montreux, na Suíça.
Com mais de 20 álbuns lançados, teve canções gravadas por grandes nomes da música nacional, como Elba Ramalho, Genival Lacerda, Dominguinhos e Fagner.

Ano passado, o artista foi reconhecido, em sessão na Assembleia Legislativa da Paraíba, como Patrimônio Cultural e Imaterial do Estado.

Também recebeu em 2019 o título de ‘Mestre das Artes Canhoto da Paraíba”, aprovado em sessão do Conselho Estadual de Cultura (Consecult/PB).

Autor de sucessos como ‘Neném Mulher’ e ‘Matuto teimoso’, Pinto contribuiu intensamente para com a cena cultural paraibana.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Fest Aruanda 2020 encerra nesta terça-feira inscrições para a 15ª Edição

Termina nesta terça-feira (11)< as inscrições de curtas e longa-metragens para a 15ª Edição do Fest Aruanda que este ano acontece de forma online. . Obras audiovisuais de todo o…