Por pbagora.com.br

A banda paulista Pholhas, que fez muito sucesso nos anos 70 no Brasil cantando em inglês, é a atração principal do Projeto Seis e Meia nesta quarta-feira (04/08), às 18h30, no Teatro de Arena do Espaço Cultural José Lins do Rego. A abertura será feita pela banda local Osorno, que têm a irreverência como marca registrada, através da força do rock.

 

Neste show, o Pholhas vai possibilitar uma volta ao passado, fazendo uma retrospectiva de sua carreira de 40 anos marcada pelas baladas românticas. A Osorno promete mostrar a união de música, brincadeiras e dança, promovendo uma festa dedicada ao público.

 

O Seis e Meia voltou a ser realizado no Espaço Cultural em abril deste ano, com show de Tânia Alves e Diana Miranda. Nesta edição 2010, já passaram pelo Teatro de Arena nomes como Santanna, Paulo Diniz, Peri Ribeiro, Vander Lee, Leny Andrade e Danilo Caymmi, entre outros.

 

O Projeto é realizado pela Acorde Produções e recebe o apoio cultural da Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funjope), Ambassador Flat, dos restaurantes Peixe Elétrico, Vila Cariri e Cia do Chopp, da loja de móveis artesanais Arte Rústica e da Construtora Brascon. Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) e podem ser comprados antecipadamente e na hora do show no posto de vendas montado no Espaço Cultural.

 

Sobre o Pholhas

Paulo Fernandes, Oswaldo Malagutti, Helio Santisteban e Wagner “Bitão” Benatti se reuniram em 1969, em São Paulo, e criaram a banda Pholhas, que teve uma crescente popularidade. Os quatro rapazes optaram em cantar e compor em inglês, já que na época a maioria da programação das rádios e TVs era de sucessos internacionais e a MPB não tinha a mesma força de hoje.

 

Em 1972 veio o primeiro LP, “Dead Faces”, do qual foi extraído um compacto duplo com as canções “My mistake”, “Pope”, “Shadow of love” e “My first girl”, que chegou ao 1º lugar das paradas em apenas três meses após o lançamento, vendendo 400 mil cópias, o que rendeu o primeiro disco de ouro da carreira dos Pholhas.

 

A seguir vieram as canções “She made me cry”, “I never did before” e “Forever”, todas com vendagem superior a 300 mil cópias, firmando os Pholhas como um dos maiores fenômenos musicais brasileiros, o que levou a RCA, em 1975, a lançar o LP “Dead Faces” na Espanha e em toda América do Sul, com o título “Hojas”, dando mais um disco de ouro ao grupo.

 

Uma das mudanças na formação da banda foi a saída de Oswaldo Malagutti, que foi substituído pelo baixista João Alberto. Em 2009, os Pholhas completaram 40 anos ininterruptos de carreira, acumulando uma vasta experiência musical, colecionando vários discos de ouro e firmando-se como um dos maiores nomes do cenário “pop”, com gravações e apresentações no Brasil e na América do Sul. Para comemorar a data, lançaram o CD independente “Pholhas – Forever”.

 

Sobre Osorno

 

Apesar de criada há pouco tempo, a banda paraibana já tem um CD gravado, se prepara para gravar outro e tem no currículo turnês no Brasil e no exterior. Com a proposta de não fazer cover, a Osorno garante transformar cada show não apenas numa apresentação musical, e sim numa performance inovadora.

 

A banda é formada por oito integrantes: Nik Fernandes (vocal principal e guitarra), Kacto (vocal), Marrentinho Karioca (guitarra e vocal), Kachinho de Ouro (guitarra e back vocal), Mimo (guitarra e back vocal), Draga (teclado), Tupy (baixo) e El Pegadore (bateria).

 

Dona de um visual que é uma fusão de psicodélico, com punk e rock, a banda toca desde Guns N’ Roses, Beatles, Creedence e ritmos nacionais, a exemplo de Reginaldo Rossi, Falcão, Zé Ramalho e Victor e Léo.

SERVIÇO:
Seis e Meia – Pholhas
Abertura: Osorno
Quando: Quarta-feira (04/08), 18h30
Onde: Teatro de Arena do Espaço Cultural
Quanto: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (estudante)
Informações: 83-8857-4765