A Paraíba o tempo todo  |

Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba apresenta o 7º concerto nesta quinta

 A Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba apresenta, nesta quinta-feira (12), o 7º concerto oficial da Temporada 2015 nesta quinta-feira (12), às 20h30, na Sala Maestro José Siqueira (Espaço Cultural). Com regência do maestro Luiz Carlos Durier (titular), a apresentação promete uma paleta de cores musicais. Danças de origem russa e pernambucana dão um tom alegre e festeiro. E a obra que é considerado o maior concerto para violoncelo já escrito, tocado pelo habilidoso violoncelista da Jovem, Romulo Freire Pessôa. A entrada é gratuita.

A Valsa Eugene Onegin abre a apresentação. A obra faz parte da ópera mais popular de Tchaikovsky. Com capricho o autor conseguiu popularizar as valsas de todos os ballets e óperas que compôs, e assim, tornando-as belas peças de concerto. Este primor se deve ao fato das melodias serem simples, belas e de fácil assimilação, porém, com um componente importante, aquele que meche com as nossas emoções, a harmonização perfeita.

O Primeiro Concerto para Violoncelo e Orquestra, Op. 33 de Camile Saint-Saens é considerado por muitos uma criação mais perfeita para este instrumento. Nele, pela primeira vez, o instrumento exibe todos os registros sonoros, o que foi celebrado por muitos compositores à época. A obra está estruturada em movimentos sem interrupções. O violoncelo segue, expondo os temas dialogando com a orquestra, às vezes os dois brincando de “pergunta e de resposta”. Isso mantém o solista no plano musical e dramático, a orquestra oferece um pano de fundo cintilante. A música é extremamente exigente para o solista, especialmente na terceira seção. Esta dificuldade não impediu que o concerto em se tornar o favorito dos grandes violoncelistas virtuoses.

Na Sinfonia Nordestina de Ernest Mahle foi empregado melodias do Boi-Bumbá pernambucano, recolhidas por Mário de Andrade na cidade de Bom Jardim, situada próxima ao Recife. A sinfonia tem três movimentos: No primeiro, Ad libitum – Allegro, apresenta em sequência: Baiano do Boi, Manuel da Lapa, Rosalina e Valentão numa rica temática melódica e rítmica. No Andante seguinte a Chamada do Boi, Aboio e O Gigante criam um efeito deslumbrante na superposição destas melodias. Vivace final cinco melodias vibrantes e rítmicas concluem a sinfonia em grande estilo. As canções, em número de treze, são utilizadas como temas de uma forma sonata e se apresentam puras e adornadas por uma orquestração primorosa. Ritmos do baião, um aboio, brincadeiras de roda, expostos nesta composição nos fazem orgulhosos em ser nordestinos e brasileiros.

“Os jovens só precisam de incentivo e continuidade de trabalho. A OSJPB é um celeiro de talentos que precisa de constante e permanente exercício do ofício da música. Numa prática que busca a excelência artística através de gêneros e estilos musicais diversos, num aprendizado alegre e divertido. Neste aspecto estamos bem à frente. A Paraíba é referência na prática de orquestras jovens”, disse Durier.

Romulo Pessôa – violoncelista – Natural de João Pessoa (PB), iniciou seus estudos de música na Escola de Música Antenor Navarro. Em 2005 ingressou na Orquestra Infantil da Paraíba sob a regência de Norma Romano, em 2007 na Orquestra Infanto-Juvenil da Universidade Federal da Paraíba sob a regência de Geraldo Dias da Rocha e em 2010 na Orquestra Sinfônica Jovem do Estado da Paraíba sob regência de Luiz Carlos Durier, onde teve a oportunidade de se apresentar à frente da orquestra como solista.

Atualmente cursa a Graduação em Música (Bacharelado) na Universidade Federal da Paraíba sob a orientação do Prof. Dr. Felipe Avellar de Aquino e faz parte do naipe de violoncelos da Orquestra Sinfônica da Paraíba. Durante seu tempo de estudo participou de festivais como: Virtuosi (PE), Festival Eleazar de Carvalho (SP) e o Festival de Música nas Montanhas (MG). Tem participado de máster classes com grandes violoncelistas do cenário nacional e internacional tais como: Alceu Reis, Fred Pot, Paulo Santoro, Kim Bak Dinitzen, Victor Uzur, Stanimir Todorov.

Luiz Carlos Durier – Regente – Natural de João Pessoa – Paraíba, Luiz Carlos Durier é o regente titular da OSPB Jovem há 18 anos. Seu trabalho direcionado para jovens músicos em formação tem reconhecimento em todo o Brasil. As suas interpretações cativantes e criativas produzem sempre sucesso de público e crítica. Sob sua batuta já se tornou tradição a Jovem apresentar estreias mundiais com excelente qualidade técnica e artística. Em setembro de 2013 foi nomeado diretor artístico e regente titular da OSPB.

Na UFPB concluiu o ensino superior de música nos cursos de Licenciatura e Bacharelado. Desde que chegou a Escola de Música Anthenor Navarro – EMAN, em 1991, lidera atividades de educação musical ensinando: Musicalização, Viola e Música de Câmara e Regência. Participou das XIX e XX Semana da Música da UFRN como professor da classe de regência. Na UEPB está realizando o Curso de Especiação Em Fundamentos da Educação – Práticas Pedagógicas Interdisciplinares.

Como regente convidado conduziu a Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte, Orquestra Sinfônica do Estado de Sergipe, Orquestra Sinfônica da UFRN e Orquestra Criança Cidadã do Recife. Regeu a Orquestra de Cordas da 29ª e 30ª Oficina de Música de Curitiba. Na sua formação como regente foi aluno de Wolfgang Groth, Nelson Nuremberg e Guilhermo Scarabino. Desde 2005 estuda com o maestro Osvaldo Ferreira. Participou de Master Class com os maestros Kurt Masur e, recentemente, com Dante Anzolini. Ainda teve como mestres o maestro José Siqueira, José Alberto Kaplan, Iara Bernette, Violeta de Gainza, Guilhermo Campos e Horácio Schafer.

Conduziu a OSPB na gravação ao vivo do CD da cantora Marines e sua Gente, do DVD Sivuca e os Músicos Paraibanos. Tem acompanhado com frequência artistas populares com a OSPB e OSPB Jovem em grandes concertos populares, tais como: Ângela Ro Ro, Arnaldo Antunes, Tico Santa Cruz e Renato Rocha (Detonautas), Flávio José, Genival Lacerda, Alcione “Marrom”, Toninho Ferragutti, Geraldo Azevedo, Dominguinhos e Zélia Duncan, sempre com grande sucesso de público e crítica. No ano de 2012 recebeu a Comenda de Honra ao Mérito, pelo brilhante desempenho profissional frente à OSPB.

Serviço:

Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba – 7º Concerto Oficial – Temporada 2015

Solista: Romulo Pessôa (violoncelo)

Regência: maestro Luiz Carlos Durier (titular da OSJPB)

Data: quinta-feira (12)

Horário: 20h30

Local: Sala de Concertos Maestro José Siqueira (Espaço Cultural José Lins do Rego)

Entrada: gratuita

PRÓXIMOS CONCERTOS:
OSPB – 19 e 20 de novembro de 2015

OSPB – 03 de dezembro de 2015

OSPB Jovem – 10 de dezembro de 2015

 

Foto: Roberto Guedes

Secom-PB

PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe