Por pbagora.com.br

Duas composições inéditas de Mozart foram apresentadas neste domingo, 2, pela Fundação Internacional Mozarteum, em Salzburgo. As obras foram mostradas pela primeira vez em público neste domingo, e estavam em um livro que a fundação tem desde 1864. As partituras foram feitas pela então criança prodígio Wolfgang Amadeus Mozart.

 

Até agora, as 18 peças que integram o “livro de notas de Nannerl” (Nannerl era o apelido da irmã de Mozart) eram atribuídas ao pai do famoso músico, Leopold Mozart, ou a autores anônimos. Mas, após estudar toda uma série de indícios, os analistas chegaram à conclusão de que foram criadas por Mozart quando ele era criança.

 

Trata-se de um movimento de concerto para piano, de 75 compassos e cinco minutos de duração, e de um prelúdio de um minuto, cujas partituras foram passadas pelo pai do famoso compositor à mão para o

papel, mas “o estilo das composições não corresponde à autoria de Leopold”, disse um pesquisador da fundação.

 

Os especialistas estão agora praticamente certos de que o pequeno Mozart criou estas peças e as tocou no piano para o pai, que depois escreveu as notas e as corrigiu.

 

O gênio que mais adiante criaria A Flauta Mágica tinha então entre 7 e 8 anos, e nestas obras se vê como “um músico jovem mostrou o que podia (fazer). Além disso, o movimento tem erros de composição

que nunca aconteceriam com o experiente Leopold”, disse o especialista.
 

Estadão