Por pbagora.com.br

A quarta noite da Festa das Neves, que acontece nesta segunda-feira (2), traz ao palco do Ponto de Cem Reis, a partir das 18h, shows de Nando Reis, Diana Miranda e Carlyto. A programação também conta com atrações da Cultura Popular, com a presença dos repentistas João Paulo e Biu Salvino, Penha Cirandeira e o Cavalo Marinho de Bayeux. O evento, que comemora os 425 anos da Capital, é promovido pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por intermédio da sua Fundação Cultural (Funjope).

Um dos grandes nomes da música brasileira, o artista Nando Reis, acompanhado da banda ‘Os Infernais’, apresenta o show do seu mais recente álbum, intitulado ‘Drês’ – que é uma mistura de Dri, apelido de sua ex-namorada Adriana Lotaif e Três, número de composições dedicadas a ela neste trabalho. Baladas românticas, ryffs de guitarra, letras certeiras e românticas e homenagens fazem parte do show.

A banda que acompanha Nando Reis é formada por Carlos Pontual (violão), Felipe Cambraia (baixo), Alex Veley (teclados) e Diogo Gameiro (bateria). Com muitas das letras falando de amor, de relacionamentos, de fatos autobiográficos, Nando Reis preparou o oitavo álbum, essencialmente de rock. Sobre os temas, ele comenta: “Muitas canções do disco foram feitas por motivos vitais, para dar palavras a sentimentos incrustados, mal resolvidos. Gosto dessa oportunidade de resolver emoções”.

Diana Miranda – A ousadia é uma marca na carreira da cantora paraibana Diana Miranda, que fará o primeiro show da noite. A artista, que morou por 25 anos na Europa, conquistou os palcos da Alemanha, Suíça, Portugal, Itáliam e França, dividindo o palco com ícones da música internacional, a exemplo de Jimmy Cliff e Angélique Kidjo. Recentemente ela fez uma turnê na Eslovénia e participou do Roma Jazz Festival, do Festival “Ritmos do Mundo” na cidade do Porto, em Portugal.

A projeção européia da cantora paraibana começou efetivamente em 1993 quando, depois de gravar seu primeiro Cd com composições de autores paraibanos como Paulinho Ditarso, Cátia de França, Paulo Ró, Jackson do Pandeiro e Dominguinhos foi convidada pelo grande produtor internacional Quincy Jones (produtor o rei do pop Michael Jackson e outros), que encantado com a performance e o talento da cantora paraibana convidou-a para participar do Montreux jazz Festival para inaugurar o “New Q’s” Sala Quincy Jones em companhia de Hermeto Pascoal e Margareth Menezes.

Seu estilo musical se define pelo que se convencionou chamar de “World Music” através da fusão de ritmos do nordeste, de ritmos africanos e de uma parte significativa de funk e de jazz. Isso, contudo, só veio se configurar com maior ênfase a partir da firmeza e consciência na valorização de suas origens paraibana.

Carlyto – O guitarrista e compositor Carlyto é a segunda atração da noite, do palco do Ponto de Cem Reis. Com um estilo que mescla rimos como o Blues-Rock e fusão da música nordestina, o artista começou a desenvolver suas atividades musicais a partir dos anos de 1970, em João Pessoa, onde fundou uma das primeiras Bandas de Rock da cidade, denominada ‘Banda do Cachorro Triste’. Desde então vem participando de shows, festivais e coletivas com artistas locais, em apresentações pela Paraíba e outros estados do Brasil.

Atualmente, Carlyto vem desenvolvendo um trabalho em favor do meio ambiente e de conscientização ecológica, através da música, com músicos paraibanos reconhecidos que formam a Banda Matéria Orgânica, junto às comunidades da cidade de João Pessoa.

Cultura Popular – Como não poderia deixar de ser, a Cultura Popular é destaque mais uma vez, na Festa das Neves. Dando inicio a programação, os repentistas João Paulo e Biu Salvino, se apresentam no tablado da cultura popular, a partir das 18h. João Paulo é natural da cidade de Ingá. Sua primeira cantoria foi ao lado de Manoel Fabrício no ano de 1958. Conheceu e cantou com poetas como Severino Borges, Natanael de Lima, Lino Pedra Azul, Jô Patriota, Lourival Batista, Eduardo Moura, Sebastião Cesário e Severino Ciriaco. Por sua vez, Biu Salvino nasceu em Salgado de São Félix, filho do poeta Luís Salvino da Silva, aos 12 anos de idade, começou a acompanhar cantorias de grandes nomes do gênero, a exemplo de Manoel Xudu, João Quidigui e Denis Viturino. Já fez dupla com vários cantadores importantes, dentre os quais o poeta João Galdino.

Penha Cirandeira – Outra atração popular da noite é a artista Penha Cirandeira, que iniciou sua trajetória artística tocando ciranda na usina Santa Helena, junto a seu pai Zé Cirandeiro. Ela é natural de Alagoa Grande e hoje reside em Várzea Nova, onde trabalha no roçado. Ao lado da zabumba de Seu Cícero, Penha conhece muitos cantos tradicionais e também sabe fazer improvisos. Possui intimidade indiscutível com os ritmos da ciranda e do coco, sendo marca de sua personalidade a voz forte e renitente.

Cavalo Marinho de Bayeux – Herança deixada pelo Mestre Gasosa, o Cavalo Marinho de Bayeux hoje é conduzido pelo mestre Zequinha. O cavalo marinho é uma variante da brincadeira do boi e apresenta personagens humanos, como o Mateus, o Birico, o Contramestre, os Galantes, além de animais, como o Boi, a Burra, o Bode e o Cavalo Marinho) e mitológicos, a exemplo do Jaraguá, o Arrelequim e o Gigante. Rabeca, pandeiro e triângulo fazem a música para as pessoas dançarem e brincar a noite inteira, ao som de toadas, aboios, baianos e louvações.

 

Secom PMJP