Por pbagora.com.br

A Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc), por meio da Editora de A União, lança nesta quinta-feira (25) o livro ‘Paulo Pontes: A Arte das Coisas Sabidas’, do autor Paulo Vieira. O evento será transmitido, às 19h, no canal da Funesc no YouTube (/funescpbgov).

A obra é o resultado da pesquisa de mestrado do também teatrólogo, ator, diretor e professor Paulo Vieira, e está em sua segunda impressão. Segundo o autor, o conteúdo do livro está dividido em dois momentos: a biografia de Paulo Pontes e o recorte histórico em que viveu o biografado.

O lançamento, gravado no Teatro Paulo Pontes, conta com a apresentação da jornalista Amanda Falcão, e leituras encenadas da atriz Suzy Lopes, do ator Tony Silva e da jornalista Gi Ismael.

Paulo Pontes – Paulo Pontes nasceu em Campina Grande-PB, em 8 de novembro de 1940. Como comunicador trabalhou em diversos veículos de comunicação, a exemplo do Jornal A União e a Rádio Tabajara. Como teatrólogo, ganhou destaque pelos seus enredos marcados pela tragicomédia e personagens típicos do cenário brasileiro. Foi casado com a atriz cantora e diretora Bibi Ferreira. Um de seus roteiros, ‘Gota D´Àgua’, resultou também em espetáculo e música, em parceira com Chico Buarque. No teatro, ficou nacionalmente conhecido pelo espetáculo ‘Um Edifício Chamado 200’. Já na televisão, Paulo Pontes escreveu a primeira versão do programa ‘A Grande Família’, da TV Globo.

Paulo Vieira – Com doutorado em Artes pela Universidade de São Paulo (1993), o ator, diretor, dramaturgo e escritor paraibano Paulo Vieira atuou como professor da Universidade Federal da Paraíba, coordenando o mestrado profissional em Artes – Profartes. Já publicou quatro 4 livros e seu espetáculo teatral mais recente é ‘Mercedes’.

Já conquistou as premiações de Melhor Diretor (XVI Festival Nacional de Teatro em Campina Grande e Festival Nacional de Ponta Grossa -PR, pelo espetáculo “Última Estação”, em 1991 e 1994). Também o prêmio de melhor texto original no VIII Festival Nacional de Teatro, em Anápolis – GO, pelo texto “Não se incomode pelo Carnaval”, em 1998.

PB Agora