A Paraíba o tempo todo  |

Gitana Pimentel e Oitavas no Choro no Sabadinho

 Jacob Pick Bittencourt, o Jacob do Bandolim, morto há 45 anos e campeão de execuções no Sabadinho Bom, vai ganhar uma homenagem na edição deste sábado (23) com o grupo Oitavas no Choro. Eles abrem as apresentações às 11h30, na Praça Rio Branco, Centro Histórico da Capital. Às 14h, a sambista Gitana Pimentel faz o seu début no projeto. O Sabadinho é uma promoção da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio da sua Fundação Cultural (Funjope).

O Oitavas do Choro surgiu em 2009, em João Pessoa, a partir do reencontro de amigos amantes do estilo. O nome do grupo faz alusão a um intervalo musical das partituras do choro, que compreende as doze notas musicais fundadoras da linguagem musical do Ocidente.

O Oitavas é atualmente formado por Cornélio Santana (flauta), João Maria (violão de sete cordas), Manoel Medeiros (cavaquinho), André Luiz (pandeiro) e Maryson Guga Borges (violão de seis cordas).

Jacob do Bandolim – O primeiro instrumento que Jacob aprendeu a tocar quando criança, no bairro da Lapa, foi o violino. Mas, por não se adaptar ao arco, Jacob começou a tocá-lo usando grampos de cabelo. Pouco depois, ganhou seu primeiro bandolim, um modelo de cuia, napolitano.

Jacob não teve professor, sempre foi autodidata. Treinava repetindo os trechos de músicas que ouvia em casa e na rua. Em 1933, se apresentou pela primeira vez na Rádio Guanabara, ainda como amador, com o grupo Sereno, formado por amigos. Tocaram o choro “Aguenta Calunga”, de Atilio Grany.

Ao se decidir pelo bandolim como instrumento, Jacob iniciou sua carreira na rádio em 1934. Depois, acompanhou grandes artistas da época, como Noel Rosa, Augusto Calheiros, Carlos Galhardo e Lamartine Babo.

Gitana – Gitana Pimentel ainda colhe os frutos do seu primeiro CD autoral, “Enfim Só”, lançado em 2011. Natural de Patos e radicada em Campina Grande, a cantora procurou valorizar em seu trabalho inaugural obras de compositores paraibanos (como Alquimides Daera, Ajalmar Maia, Robson Bass e Andrey Hluchan) e potiguares (a exemplo de André da Mata e André Victor Leite) num trabalho que transita entre o jazz e o samba-raiz.

 

Desde 2011, Gitana excursiona por diversos festivais na promoção do álbum. Ela foi indicada em 2013 ao Prêmio Multishow na categoria Nova Canção com a sua música “Pra Cima de Mim”, participou de um especial de fim de ano e gravou um LP com as músicas finalistas.

 

Atualmente, trabalha na produção do seu novo disco com faixas inéditas de grandes compositores da música brasileira, como Almir Guineto, Adalto Magalha, Adilson Gavião e Mário Sérgio. Está prestes a lançar o terceiro single, “Se alguém souber de mim”, depois de “O amor não mete medo” e “Mete o medo no cavaco”. “Além das músicas de Enfim Só, também vou tocar versões de Chico Buarque, Elis, Maria Rita e Carlos Lyra neste Sabadinho Bom”, cita, empolgada pela estreia no Sabadinho.

 

Secom-JP

PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe