Por pbagora.com.br

O filme brasileiro “À deriva”, de Heitor Dhalia, foi recebido com aplausos em sessão única na noite desta quinta-feira (21) no Festival de Cannes. O longa, estrelado por Débora Bloch, Vincent Cassel e a atriz-mirim Laura Neiva, faz parte da mostra Un Certain Regard, paralela à competição oficial.

 

 

“Espero de coração que vocês sejam tocados pelo filme, do mesmo modo que eu fui tocada durante o processo de realização”, declarou Bloch antes do início da sessão, que, além do elenco e da equipe técnica, teve a atriz Grazi Massafera, namorada de Reymond, entre os convidados presentes.
 

 

“À deriva” conta a história de um casal em crise que viaja a uma casa de praia, em Búzios, para tentar reestruturar o casamento. O escritor francês Matias (Cassel) e Clarice (Bloch) têm três filhos, entre ela a adolescente Filipa (Neiva), que além de lidar com a separação iminente dos pais começa a descobrir sua própria sexualidade na temporada de praia.

A garota de 14 anos, encontrada pela equipe de Dhalia no Orkut, é a grande surpresa do filme, com uma atuação onipresente e segura para um primeiro papel.

Menos convicente, entretanto, é a participação do elenco de estrangeiros no longa, incluindo Cassel e a atriz norte-americana filha de mãe brasileira Camila Belle, do blockbuster hollywoodiano “10.000 dC”.

O problema não é propriamente de atuação – vencedor do Cesar de melhor ator em 2009, Cassel é um dos grandes atores franceses de hoje -, mas, por não terem o português como língua nativa, ambos acabam soando deslocados em alguns dos diálogos do filme.

Secundário na história, Reyomnd aparece apenas em três sequências do longa, como barman de um restaurante da praia. Duas delas são cenas de amor, sem conteúdo explícito.

Descrito por Dhalia – de “O cheiro do ralo” e “Nina” – como o seu filme “mais autoral”, “À deriva” tem ainda assim uma história sensível e uma fotografia admirável que pode agradar as plateias internacionais. O longa tem distribuição pelo selo Focus, do estúdio norte-americano Universal.

 

 

G1

Deixe seu Comentário