Por pbagora.com.br

 Vários fiéis que frequentam a Catedral Diocesana de Nossa Senhora da Conceição, em Campina Grande, participaram na noite deste domingo (25) da missa de posse de Padre Márcio Henrique Mendes Fernandes na Paróquia de Nossa Senhora do Rosário, no bairro da Prata. A missa foi celebrada pelo Bispo Diocesano de Campina Grande, Dom Manoel Delson, com a participação do Bispo de Palmares, Dom Genival Saraiva e demais padres convidados.

Durante a celebração, coube ao juiz Horácio Ferreira, frequentador da Catedral, fazer uma homenagem em nome dos demais frequentadores da paróquia de Nossa Senhora da Conceição. Ele desejou boa sorte ao ex-pároco da Catedral e disse que aquele momento era muito importante para todos os que ali estavam.

Ao falar aos presentes, o Bispo Dom Delson destacou a qualidade dos padres que integram a Diocese de Campina Grande. “Em um ano e meio ainda não pude avaliar a amplitude do trabalho de evangelização dos nossos padres, mas constatei a qualidade dos nossos padres. Conclui que a igreja é humana, mas é divina. Os padres, na sua humanidade, estão na graça de Deus”.

Ele disse que entende e acha normais as reações de surpresa dos fiéis católicos com as mudanças anunciadas. “Seria muito estranho para um bispo transferir os padres e não escutar nenhuma reação por parte das comunidades. Significaria que os fiéis não tinham se importado. Estou entregando a Paróquia do Rosário ao Vigário Geral da Diocese. É um sacerdote qualificadíssimo para pastorear o povo de Deus nesta comunidade”.

Amor ao chamado – Durante a celebração, Pe Márcio fez a sua Professão de fé, o que é normal aos padres que assumem paróquias. Ele agradeceu o gesto do Bispo Dom Delson de participar da celebração. “Enviar e vir pessoalmente é o mesmo que dizer que é um gesto de extrema confiança em nós. É mais apropriado afirmar que é o povo quem toma posse do pároco, não o pároco que toma posse do povo”, disse.

Segundo Padre Márcio, tomar posse é responder com amor a um chamado. “Sou muito consciente da minha pequenez e das minhas fragilidades. Sou de carne e osso, pecador como vocês. O que há de mais desafiador na vida de um padre é a responsabilidade de gerir uma comunidade, tanto como pároco como administrativamente”.

Ele apelou aos paroquianos para que participem ativamente das atividades da igreja. “Sozinho e isolado ninguém e capaz. Não se chega a lugar nenhum centralizando as atividades nas mãos de um padre. Estou muito feliz por ser o pároco de vocês. Sei que posso contar com a colaboração de todos. E podem contar comigo, de coração aberto”.

Padre Márcio aproveitou e fez um agradecimento especial aos paroquianos da Catedral, que participaram ativamente da celebração. “Passei 13 anos e 8 meses da minha vida nessa família de irmãos. Serei sempre agradecido”. E desejou boa sorte ao Pe Luciano Guedes, que assumiu a Catedral pela manhã e estava na celebração. “Luciano, Deus o ajude para que sejas muito feliz e recebas o mesmo apoio que eu recebi na Catedral”.

Ele finalizou com uma mensagem de otimismo para com esta nova etapa de sua vida sacerdotal. “Tenho muito a conhecer. Eu chego para somar. Para conhecer é preciso inserir-se, participar se envolvendo. Caminhar de mãos dadas. Caminhemos, então”. Após a missa, os fiéis participaram de um lanche no Salão Paroquial, onde puderam cumprimentar Padre Márcio e desejar-lhe voa sorte nesta nova missão.

Catedral – Os fiéis católicos da Catedral Diocesana de Nossa Senhora da Conceição, no centro de Campina Grande, acolheram neste domingo (25), durante a celebração das 10h, o seu novo Padre, Luciano Guedes da Silva, que veio da Paróquia de Nossa Senhora das Mercês, na cidade de Cuité. A primeira missa celebrada por Pe Luciano foi comandada pelo Bispo Diocesano da cidade, Dom Manoel Delson.

Durante a celebração, coube ao coordenador do Ministério da Eucaristia, Anderson Ramalho, fazer as boas vindas ao novo pároco. “Agradecemos ao bispo Dom Delson pela feliz escolha do Padre Luciano. A partir de hoje o senhor será membro de cada família, compartilhará conosco todos os sofrimentos e alegrias”, disse ele.

“Sabemos que as mudanças de párocos sempre geram sentimentos, tanto nos padres quanto nos membros das paróquias envolvidas. Instigado em sua vocação missionária o senhor, como sacerdote, aceitou assumir os desafios desta nova comunidade que abraça e mesmo que, tateando nos primeiros tempos, sabemos que vai conquistando-a e sendo por ela conquistada”, disse o coordenador.

Redação com assessoria

Notícias relacionadas

Lei cria Dia Nacional do Sanfoneiro, em homenagem a Sivuca

A data de nascimento do músico paraibano Severino Dias de Oliveira, Sivuca, a partir de agora também é de comemoração ao Dia Nacional do Sanfoneiro. O dia 26 de maio…