No dia em que é celebrado a festa de Nossa Senhora das Neves, o cantor Raimundo Fagner faz show gratuito em João Pessoa. A apresentação que também marca a comemoração de João Pessoa, acontece no Ponto de Cem Réis, integra a programação da Festa das Neves 2019.

A primeira atração a subir ao palco será o grupo Lapinha Jesus de Nazaré, às 18h. Em seguida, às 20h, será a vez da Banda Tentáculos. O encerramento da Festa ficará por conta de Fagner, que se apresentará às 22h.

Além dos shows, o festejo conta com barracas de lanches e parques de diversão que estão funcionando desde o dia 27 de julho. A tradicional procissão de Nossa Senhora das Neves também ocorrerá nesta segunda-feira (5), como parte da programação religiosa.

Fagner- Discípulo de Luiz Gonzaga, Fagner completa 70 anos de idade, com a marca que pautou uma carreira de quase cinco décadas. No show desta noite em João Pessoa, ele promete fazer o público reviver os grandes sucessos de sua carreira.

Caçula de cinco irmãos, Raimundo Fagner Cândido Lopes é cearense, cresceu em Orós, no interior do estado. Desde pequeno se interessou pela música, tanto que aos 5 anos ganhou um concurso infantil na rádio local. Em 1968, levou o primeiro lugar no IV Festival de Música Popular do Ceará com a música Nada Sou. No início dos anos 1970, mudou-se para Brasília para cursar Arquitetura. Não chegou a completar o curso, mas foi na capital que deu início a sua carreira nacional.

Em parceria com outros artistas nordestinos, como Ricardo Bezerra e Belchior, Fagner foi destaque no Festival de Música Popular do Centro de Estudos Universitários de Brasília, levando o primeiro lugar com a canção Mucuripe, o sexto lugar com Manera Fru Fru Manera e menção honrosa por Cavalo Ferro. A partir daí, suas músicas começaram a ser executadas nos bares da capital.

Sua mudança para o Rio de Janeiro, em 1971, não foi uma surpresa. Em 1972, o cantor gravou Mucuripe, que viria a ser seu primeiro hit, num compacto da série Disco de Bolso do jornal O Pasquim, que no outro lado trazia uma canção de Luiz Gonzaga interpretada por Caetano Veloso, A volta da Asa Branca. Ainda em 1972, a gravação de Mucuripe por Elis Regina consagrou Fagner como compositor.

Com personalidade forte, temperamental, o cantor e compositor sempre foi determinado pelo sucesso popular. Conseguiu transitar e engatar parcerias para além da música – seu principal metiê até hoje.

PB Agora

Total
2
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Troféu Gonzação faz homenagem a Jackson do Pandeiro e Fagner, em CG

A noite quarta-feira (21) foi marcada por brilho e muita cultura em Campina Grande. A cidade foi palco da 11ª edição do Troféu Gonzagão. O evento marca a premiação da…

Troféu Gonzagão 2019 acontece nesta quarta-feira em CG e presta homenagem a Jackson do Pandeiro

Considerado o “Oscar” da música regional, o Troféu Gonzagão acontece nesta quarta-feira (21) no Teatro Facisa, em Campina Grande. A 11ª edição do Troféu um dos principais eventos de forró…