Por pbagora.com.br

O programa Entrevista Funesc desta semana traz uma conversa com a cantora e compositora paraibana Saiô Silfer e com o escritor, tradutor e roteirista Bruno Ribeiro, mestre em Escrita Criativa e autor do livro de contos “Arranhando Paredes”. O bate-papo é comandado pelo jornalista Jãmarrí Nogueira, em formato de live no Instagram da Funesc, e acontece na sexta-feira (16), às 19h.

Saiô Silfer é o nome artístico Aniele Sayonara, que nasceu na cidade de Patos (PB) e, como filha de músico, desde cedo teve contato com o universo musical, pelo qual se apaixonou e deu início aos seus primeiros acordes. Aos 15 anos, tocando clarinete, entrou para a ‘Filarmônica Municipal 26 de Julho’ e em 2017 começou a tocar profissionalmente.

Com o aperfeiçoamento musical, gravou seu primeiro EP “Live Sessions”, em 2019, um trabalho em áudio e vídeo. Duas faixas são dedicadas ao irmão, que faleceu anos antes, outras falam sobre reencarnação, horrores da guerra, encontros e reencontros; um trabalho que, na opinião dela,  busca passar ao público o estado de espírito no qual se encontrava em diferentes momentos da vida e sua conexão com a música.

Bruno Ribeiro é mineiro, radicado na Paraíba. Escritor, tradutor e roteirista, já publicou em diversos jornais, revistas, blogs e antologias. Lançou o e-book ‘Poluição Mental’, em 2011, ‘Arranhando Paredes’, em 2014 (que foi traduzido para o espanhol, pela editora argentina Outsider) e o romance ‘Febre de Enxofre’ (Penalux, 2016). É mestre em Escrita Criativa pela Universidad Nacional de Tres de Febrero, editor da Revista Sexus, foi um dos vencedores do concurso ‘Brasil em Prosa’, promovido pelo jornal O Globo e pela Amazon, também foi finalista do Prêmio Sesc de Literatura 2016 e do Prêmio Kindle de Literatura.

Ao longo deste período de isolamento, o Funesc Entrevista recebe artistas para conversas e amplia a divulgação de seus trabalhos. O Projeto faz parte da série de ações do Funesc na Rede, que tem disponibilizado através da TV Funesc (no YouTube: funescpbgov), das redes sociais da Fundação e também através da Rádio Tabajara FM (105,5) shows, entrevistas, debates, reportagens, performances e oficinas.
PB Agora

Deixe seu Comentário