Por pbagora.com.br

“Entre 4 paredes” abre palco giratório na terça-feira (13)

Sartre inspira a mais recente encenação do Grupo Graxa de Teatro, que estará abrindo a segunda etapa do Palco Giratório 2010 em João Pessoa, através da apresentação de “ Entre 4 paredes”, na próxima terça -feira (13) às 20h, no Theatro Santa Roza. A direção é de Antônio Deol, à frente de um jovem elenco que vem produzindo com afinco no Teatro paraibano durante os últimos anos e consequentemente vem obtendo aprovações em editais de incetivo à cultura.

O Grupo Graxa abre a temporada de ações do Palco Giratório em João Pessoa em julho, que inclui a Oficina sobre “ O trabalho do ator” ministrada pelo diretor teatral Alex Cassal, no dia 13/07, nos turnos da manhã e tarde, tendo como local o miniauditório do Sesc Centro João Pessoa. Alex Cassal vem a João Pessoa também como produtor da peça “ Ele precisa começar”, com o ator Felipe Rocha, que tem apresentação confirmada para as 20h do sia 14/07, também no Theatro Santa Roza.

No espetáculo cinco seres desconhecidos encontram-se confinados num lugar indefinido tendo de conviver não só entre eles, mas com o olhar de terceiros, também desconhecidos. Em Entre 4 Paredes a idéia sartriana de inferno é trabalhada na encenação de maneira a criar um jogo de gênero, sexualidade e dominação.

Cria-se um jogo no qual os atores, ao se revezarem nos papeis, brincam com as possibilidades que a idéia de feminino e masculino pode suscitar em meio a uma multiplicidade de relacionamentos possíveis, onde subjugar e ser subjugado passam a ser uma realidade não apenas entre os sexos, mas enquanto caráter humano dentro de um jogo de relações de poder.

Se para Sartre uma consciência não pode escapar da denuncia de outras, a relação que os atores estabelecem com as personagens do texto e com o público passa a de “ser para o outro” criando uma atmosfera de intimidade e incomodo, da qual ninguém pode fugir. E não há outra opção, todos estão confinados num lugar de passagem onde o que resta é a possibilidade de libertar-se e aprisionar-se um no outro para poder entender e expressar as emoções e os sentidos de amar, odiar e de existir. Todos estão presos e descobrem juntos que o inferno, na verdade, são os outros
Como uma das características do Grupo Graxa é buscar novas maneiras de se relacionar com o público, em Entre 4 Paredes, o espaço escolhido é o de corredor, com uma iluminação alternativa, dando ao espetáculo um caráter intimista de proximidade e contato direto com o público. Este não apenas participa da ação de maneira indireta, mas se vê dentro dela, como um voyeur privilegiado.