Por pbagora.com.br

                                                                             ENCÍCLICA SOCIAL DE BENTO XVI – CARITAS IN VERITATE

 

Precisamente quando os mais poderosos do mundo estavam para se reunir, o G8 no mês de julho deste ano, foi apresentada a tão esperada encíclica de Bento XVI sobre a doutrina social da Igreja.
Caritas in Veritate – A Caridade na Verdade – é uma encíclica sobre a economia e o trabalho em geral, sobre os sistemas econômicos em vigor, sobre a política, sobre a globalização e a ecologia em específico, entre outros temas.
Com grande coragem e autoridade O Santo Padre, o Papa Bento XVI é hoje um dos poucos homens no mundo a falar abertamente e com grande liberdade da exploração dos recursos naturais e humanos que acontece neste momento e que mina o futuro.
Depois de um sistema econômico praticamente sem regras, que não trouxe os resultados esperados, esta encíclica poderá tornar-se no manifesto para um novo modo de governar a partir da justiça e do bem comum.
Bento XVI sublinha que para construir um mundo novo é necessário voltar a rele e a viver as palavras do Evangelho. Depois de dois mil anos, este não é uma utopia mas o único capaz de nos ajudar a corrigir o que é necessário para uma nova ordem política,social e econômica que não destrua o que Deus criou e que viu “que tudo era bom”.

“O amor – caritas – é uma força extraordinária, que impele as pessoas a comprometerem-se, com coragem e generosidade, no campo da justiça e da paz. É uma força que tem sua origem em Deus, Amor eterno e Verdade absoluta”, fundamenta o Pontífice logo na introdução. Por isso, o amor é o princípio de todas as relações, entre as pessoas, mas também na política e na economia.
Contudo, “um cristianismo de caridade sem verdade pode ser facilmente confundido com uma reserva de bons sentimentos, úteis para a convivência social mas marginais. Deste modo, deixaria de haver verdadeira e propriamente lugar para Deus no mundo. Sem a verdade, a caridade fica confinada a um âmbito restrito e carecido de relações; fica excluída dos projetos e processos de construção de um desenvolvimento humano de alcance universal, no diálogo entre o saber e a realização prática”, esclarece o Papa.

Nas páginas iniciais da carta encíclica, Bento XVI fundamenta teologicamente o verdadeiro sentido da Doutrina Social da Igreja. Nos seis capítulos seguintes convida a repensar os paradigmas, os critérios de análise e de ação no campo social.
Com grande clarividência, esta carta encíclica critica a auto-suficiência da técnica, um novo ateísmo fundado sobre a indiferença e a onipotências dos meios, os perigos da globalização, a falta de respeito pela vida, a miséria crescente em algumas partes do globo.
Esta carta encíclica dará muito que falar. É um texto precioso, que traz em si os princípios para uma nova ordem social.
Em qualquer livraria católica ou mesmo em algumas seculares você pode encontrar e adquirir esta preciosidade da Doutrina Social da Igreja, boa leitura a inspirar sua práxis.