O Festival Aruanda do Audiovisual Brasileiro chega à sua 12ª edição oferecendo uma verdadeira ‘maratona cinematográfica’, com a exibição de 45 filmes, entre curtas, médias e longas, em sete dias de programação. A abertura amanhã à noite traz o longa-metragem “Clara Estrela”, dos diretores Susanna Lira e Rodrigo Alzuguir.

 

O documentário sobre a cantora Clara Nunes narra, apenas em primeira pessoa, através de entrevistas em diversos programas de TV e rádio, a trajetória da cantora que conquistou o Brasil e vários países do mundo. Além do minucioso trabalho de pesquisa audiovisual, o filme também traz entrevistas de mídia impressa através da narração da atriz Dira Paes.

Os depoimentos são entrecortados por imagens oníricas que traduzem o universo místico de Clara, suas raízes e alegria de viver tão marcantes em suas canções. O espectador tem a chance de relembrar os sucessos e a trajetória da artista e a possibilidade de conhecer um pouco mais dessa artista quepermanece em lugar de destaque na história da música popular brasileira, mesmo passados mais de 30 anos de sua morte.

Quando lançou seu LP “Alvorecer”, em 1974, Clara vendeu 400 mil cópias, feito que apenas Roberto Carlos era capaz de alcançar na época. Com isso abriu as portas do mercado para muitas cantoras que nos anos seguintes também alcançaram fama nacional.

 

Sua arte tinha um cunho bastante visual: do figurino à dança, uma imagem que tornou-se ícone da identidade brasileira. Depois de sua primeira excursão pelo continente africano, encontrou suas raízes e se cercou de sambistas como Cartola e Candeia. Clara Nunes soube traduzir com rara sensibilidade a alma do povo, gravou desde os autores menos conhecidos até os ilustres, sempre consciente de seu respeito ao público e às origens brasileiras, o que faz dela ainda hoje uma fonte de referência para muitas intérpretes.

 

A abertura oficial do Fest Aruanda ocorre às 19h30 na sala Macro XE do Cinépolis Manaíra Shopping. Haverá uma homenagem póstuma ao produtor e cineasta Ivan Lhebarov, e homenagens ao Cinépolis, pela parceria com o festival e consequentemente com o audiovisual paraibano, que permite o acesso gratuito ao cinema durante o evento, e ao ator Servílio Holanda. Clara Estrela será exibido logo em seguida, por volta das 20h15.

 

Assessoria

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Governo lança projeto Cinema e Escola na Fundação Casa de José Américo

A Fundação Casa de José Américo, em parceria com a Secretaria de Estado da Educação e Escola Sesquicentenário, fará o lançamento do projeto “Cinema e Escola: a Sétima Arte como…

Projeto Interatos apresenta o espetáculo em alusão ao Dia da Consciência Negra

A edição deste mês do projeto Interatos de teatro integra a programação estadual de comemorações do Novembro Negro, que este ano trabalha o tema ‘Compromisso com a Igualdade Racial’.  A…