O cantor e compositor paraibano Genival Lacerda, de 89 anos, que sofreu um Acidente Vascular Cerebral Isquêmico (AVC) na madrugada da última a terça-feira (26), sinternado no Hospital D’Ávila, na Zona Norte do Recife.

A equipe médica disse que ele passou por exames na tarde dessa quarta-feira, 27, e aguarda os resultados, mas o estado de saúde dele é estável e continuará em observação.
Morador do bairro de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, Genival passou mal e chegou a ser levado para um hospital da Unimed, porém acabou sendo transferido para o D’Ávila diante do contexto da pandemia da Covid-19. Já internado, ele realizou exames de check up e tomografia, que revelaram taxas alteradas.

“Ele fez todos os [exames de] check up, tomografia e exames. Estava com taxas alteradas. Ele dormiu bem e vai ficar em observação nesses cinco dias para ver se o quadro não se agrava”, afirmou João Lacerda.

Natural de Campina Grande, Genival Lacerda mora em Recife há mais de 25 anos e já recebeu títulos de cidadão Pernambucano (2011) e do Recife (2016) pelos serviços prestados à cultura do estado. No final de 2017, recebeu das mãos do então presidente Michel Temer a Ordem do Mérito Cultural (OMC), a maior honraria pública da cultura no Palácio do Planalto, em Brasília.

O artista tem cinco décadas de carreira. Estreou com o disco O coco de 56, pela extinta gravadora Mocambo. O principal sucesso responsável por conferir visibilidade nacional ao músico, Severina Xique-xique (1975), chegou ao público pelo LP Aqui tem catimberê, álbum com mais de 800 mil unidades vendidas. Lacerda tem 30 discos lançados e coleciona parcerias com nomes de expressão na cultura nordestina, como Dominguinhos e Marinês.

SL
PB Agora

Deixe seu Comentário