Por pbagora.com.br

 No próximo sábado (15), o Bloco Cafuçu realiza a 20ª edição do Baile do
Cafuçu. É um esquenta ao bloco que sai no próximo dia 28 de fevereiro, no
Centro Histórico da cidade, nas Praças Ponto de Cem Réis, Praça do Bispo e
Praça Rio Branco.

 

O Baile acontece no Centro Cultural Piollin, a partir das
22h, com ingressos ao preço de R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) a serem
vendidos no dia. A animação fica por conta da banda campinense Varal de
Cabaré, DJ Naza e VJ Spencer. O Baile conta, também, com o cardápio do chef
italiano Giogio Ghiotti, que atua na Bessame Lariqueria, na Casa de Irapa.

Outro detalhe importante é caprichar no figurino, com aquela blusa
brilhante sem uso por falta de ocasião ou com as roupas que o Brechó
Piollin separou exclusivamente para o Baile. O Brechó funciona no Centro
Cultural Piollin, Rua Professor Sizenando Costa, sem número, bairro Róger,
localizado ao lado da Bica. Aberto de segunda à sexta-feira, das 14h às 17h.

Varal de Cabaré é uma banda campinense, atuante desde 2010, que faz
releituras de músicas bregas com uma pegada rock ‘n roll: é como misturar
Reginaldo Rossi com Black Sabbath ou Everaldo Braga com Rolling Stones. A
proposta é enfeitar os corações com dores de cotovelo e mensagens rasgantes
de amor, como uma malemolência contagiante que faz todo mundo se remexer
seja só, seja coladinho.

O DJ Naza acompanha o Cafuçu desde 2009, quando o bloco se concentrava
apenas na Praça do Bispo. Depois da sua estreia no desfile do Cafuçu
naquele ano, esteve presente nos dois principais eventos do bloco, Forró e
Baile do Cafuçu, respectivamente a festa junina e o esquente geral que
antecede o desfile. Nazareno Andrade é parte Volante Filipéia, coletivo de
pesquisa musical e discotecagem grupal com referências do tropicalismo,
samba de raiz, música africana dos anos 70, música cubana, sambarock,
pancadão e músicas de terreiro.

VJ do Bloco Cafuçu desde 2012, Spencer tem como proposta a Psicodelia
Tropical, que compreende um espetáculo de delays e distorções nas imagens.
O artista paraibano ainda dedica seu tempo na produção de vídeos, gifs,
desenhos além de reunir uma ampla seleção de imagens e vídeos sintetizados
em RGB para mixagem. Já participou do Festival de Música Internacional de
Olinda (Mimo), RecBeat no Carnaval de Recife, Festival de Artes de Areia e
Festival Mundo.

O Bloco Cafuçu sai às ruas desde o ano desde 1989, quando o professor e
quadrinista Henrique Magalhães confecciona o primeiro estandarte e reúne
amigos a desfilarem no Bloco Muriçocas do Miramar, tendo como porta
estandarte o professor William Pinheiro.

 

O Bloco surge como ideia numa
brincadeira entre amigos reunidos no carnaval de 1988, em Itamaracá (PE),
sendo o “cafuçu” um termo muito utilizado pela atriz Adalice Costa, para
designar pessoas com “maus modos” ou que se vestiam fora da moda. Até 1997
o Bloco saía na Orla do Cabo Branco, se mudando a partir desta data para o
Centro Histórico, concentrando-se primeiramente na Rua Duque de Caxias.

 

Depois passa a ocupar a Praça Dom Adauto (Praça do Bispo) e, em seguida o
Ponto de Cem Réis e Praça Rio Branco, desfilando até a Praça Antenor
Navarro.

 

 

Ascom