Durante as gravações do filme “A Volta”, em Sorocaba, interior de São Paulo, o ator Thogun Teixeira, 47 anos, foi acusado de estupro e tentativa de estupro por duas mulheres, que seriam uma camareira do estabelecimento e uma assistente de figurino. A funcionária do hotel onde a equipe está hospedada diz ter sido abusada sexualmente no intervalo das gravações. Horas depois, a figurinista teria sido a outra vítima, mas o crime não chegou a ser cometido. Thogun nega as acusações.

De acordo com informações do G1, a Polícia Civil investiga o caso. Já foi aberto um inquérito para apurar as denúncias, feitas no domingo (26), segundo a delegada Ana Luiza Salomone. As supostas vítimas voltaram à delegacia nessa terça-feira (28) para fazer uma representação contra o ator, que teria invadido o quarto e cometido a agressão.

Mais tarde, voltou ao mesmo espaço e tentou cometer o mesmo crime com a outra vítima. Thogun diz que voltou ao quarto, mas apenas para entregar a chave para a figurinista. “Eu deixei a chave com ela e fui embora. Não houve nada.” Já sobre a camareira, Thogun confirmou a relação sexual, mas disse que houve consentimento dela.

“Ela deixou a chave autorizada na portaria. Eu peguei a chave e entrei no quarto. Como alguém conseguiria entrar no quarto?”, questionou Thogun. Apesar das afirmações, a polícia vai investigar. “Independentemente de como ele chegou lá dentro, é o fato que conta. Ele terá que explicar, porque não tem cabimento a invasão de um quarto de hotel”, disse a delegada.

Msn.com

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Dez mil brasileiros participam da canonização da Irmã Dulce no Vaticano

Cerca de 50 mil pessoas acompanharam o rito de canonização da brasileira Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes, a irmã Dulce, e de outros quatro beatos, realizado na manhã…