Marcelo Camargo/Agência Brasi

Na semana em que a Corte Interamericana de Direitos Humanos condenou, por unanimidade, o Brasil pelo assassinato de Vladimir Herzog, o pré-candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) disse que lamenta a morte do jornalista, mas que “não estava lá” para confirmar que ele foi morto pelo regime.

“Alguns inocentes acabaram tendo um fim que não mereciam, no meu entender. O caso do Vladimir Herzog, muitos falam que ele praticou o suicídio”, disse o deputado federal, em entrevista ao programa “Mariana Godoy Entrevista”, da RedeTV!.

“Lamento a morte dele, em que circunstância, se foi suicídio ou morreu torturado. Suicídio acontece, pessoal pratica suicídio”, afirmou.

 

Clique aqui e confira o conteúdo completo da entrevista

 

Redação com UOL

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Não é não! Lei da Importunação Sexual estará em vigor no carnaval

Não é não. A frase é um hino feminino contra o assédio, principalmente, no carnaval. Este ano, inclusive, será o segundo Carnaval no Brasil com a chamada Lei da Importunação…