A Central Única dos Trabalhadores (CUT) discorda com a presidente do Brasil, Dilma Roussef, sobre a privatização do patrimônio público e anuncia que a luta contra a privatização será uma das suas grandes bandeiras de luta para o final de 2011 e o ano de 2012. De acordo com Edivan Silva, secretário de Meio Ambiente da CUT-PB, este ponto foi debatido entre os dirigentes sindicais de todo o Brasil, durante a 13ª Plenária Nacional da CUT, realizada semana passada em São Paulo. Na ocasião, os representantes dos trabalhadores definiram o Plano de Lutas e a data para o Congresso Nacional dos Trabalhadores, em 2012.

 

“A CUT entende que as privatizações são marcas deixadas pelo Governo Tucano e que prejudicam diretamente o trabalhador. Com a privatização, as pessoas passam a trabalhar sem nenhuma garantia e o trabalho se torna o que consideramos precário e o governo não está vendo o lado dos trabalhadores”, destacou o sindicalista. A primeira ação da CUT em relação à luta contra a privatização foi um protesto realizado no aeroporto de Cumbica, neste último dia 07 (sexta-feira). A proposta dos dirigentes cutistas é que hajam novos atos públicos.

 

Segundo Edvan Silva, atualmente, o governo federal está preocupado apenas com a agenda de entrega de obras relacionadas tanto à Copa 2014, quanto às Olimpíadas de 2016. “O que vimos em São Paulo são greves constantes dos trabalhadores da construção porque não há boas condições de trabalho nestes canteiros de obras para tais grandes eventos”, completou o representante da CUT-PB.

 

Dirigentes sindicais da Paraíba participam do ato contra privatização dos aeroportos

 

Em torno de 12 dirigentes sindicais paraibanos participaram do ato público contra a privatização dos aeroportos realizado neste último dia 07, no aeroporto de Cumbica, em São Paulo. O protesto foi realizado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) e reuniu mais de 600 pessoas, que protestaram dentro do aeroporto. Neste mesmo dia também se comemorou do dia Mundial pelo Trabalho Decente, que é uma das principais bandeiras de luta da CUT.

 

De acordo com um dos paraibanos participantes do protesto, Edivan Silva, secretário de Meio Ambiente da CUT-PB, o protesto teve repercussão nacional e trouxe um bom resultado. “Vamos continuar a promover este tipo de ato para evitar a privatização dos bens que pertencem ao povo brasileiro”, disse ele.
 

 

Assessoria

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Após polêmicas, Senado altera PL relatado por Wilson Santiago na Câmara

O Senado aprovou ontem (17) o dispositivo que regulamenta o uso do fundo eleitoral para financiamento de campanha dos candidatos a prefeito e vereador nas eleições municipais de 2020. O…

RC lamenta liberação de 63 novos agrotóxicos e critica ganância do governo Bolsonaro

O ex-governador e atual presidente da Fundação João Mangabeira (FJM), Ricardo Coutinho (PSB), criticou o uso de agrotóxicos pelo Brasil. De acordo com Ricardo, o Ministério da Agricultura do governo…