Por pbagora.com.br
 
 

Devido o avanço da pandemia do coronavírus, e do futuro ainda incerto, alguns parlamentares do país já admitem a possibilidade de pedir a Justiça Eleitoral para cancelar as eleições municipais marcadas para outubro.

Na Paraíba, a bancada segue cautelosa com a possibilidade de adiar o pleito. O líder da bancada no Congresso, o deputado Efraim Filho, destacou que o debate em torno do adiamento das eleições pode esperar um pouco, visto que enquanto durar o Decreto de calamidade pública, ele é secundário. Para ele, a prioridade no momento é combater a pandemia e evitar que o vírus se espalhe.
Para o parlamentar, só após o término desse período de combate ao coronavírus, é o que Congresso Nacional poderá avaliar a necessidade de adaptação ao não do calendário eleitoral.

Esse também é o pensamento do senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB/PB]. Veneziano defende que esse assunto seja tratado posteriormente, quando se terá noção se o País conseguiu conter o coronavírus.
Para ele, a responsabilidade de todos no momento é em empreender esforços que são exigidos para combater o coronavírus. O parlamentar entende que antecipar esse debate, tira os foco das questões mais relevantes do momento que é conter o vírus. Ele ressaltou que os efeitos da pandemia do coronavírus são sentidos nos mais pobres. O Estado já computou dois casos do Covid 19 e as medidas de prevenção a proliferação do vírus tem se intensificado por parte do governo do Estado.

Diante da disseminação do coronavirus, a proposta de alterar o calendário eleitoral inevitavelmente dividiu alguns parlamentares que comungam com o pensamento de alguns deputados que querem o adiamento das eleições. O deputado Cabo Gilberto (PSL) defendeu a unificação das eleições de 2020 com as eleições de 2022, por conta do coronavírus.
– Nós defendemos a unificação das eleições, porque é melhor para a sociedade. E, com o coronavírus abalando a economia mundial e a nossa, a brasileira, era importante unificar as eleições de fato e de direito para 2022 – defende

O fato é que essa semana um grupo de deputados de outros estados, começou a discutir a possibilidade de adiar as eleições municipais de 2020 por causa do coronavírus. O primeiro turno está marcado para 4 de outubro e o segundo, para o dia 25 do mesmo mês. O Congresso aprovou, nesta semana, a decretação de estado de calamidade pública para que o país possa lidar com a crise causada pela doença.

A preocupação dos deputados com as eleições é que as medidas restritivas impostas para evitar a disseminação do vírus impeçam a realização de atos previstos no calendário eleitoral, como as convenções partidárias. Além do mais, as atividades de campanha que exigem um contato mais próximo com eleitores e aglomerações de pessoas, como as convenções.

Severino Lopes
PB Agora

 
 
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

“Esse é o momento em que se deve ter espírito público” diz Aguinaldo sobre priorização da reforma Tributária

O deputado federal e relator da reforma Tributária, Aguinaldo Ribeiro (Progressistas), defendeu, durante entrevista à CNN na noite dessa quinta-feira (26), um direcionamento por parte do governo federal para que…

Durante encontro, prefeitos elogiam atuação de Veneziano em favor das cidades: “o senador municipalista”

O senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB) participou na noite desta quarta-feira (25) de uma reunião com diversos prefeitos eleitos e reeleitos da Paraíba, em um evento promovido na capital…