Por pbagora.com.br

A casa caiu: Padre pedófilo é preso em flagrante com quatro adolescentes em motel no Maranhão

São Luís, Maranhão – A polícia do Maranhão anunciou neste sábado a prisão em flagrante do padre Félix Barbosa Carreiro, 43 anos, acusado de pedofilia. Segundo o jornal O Imparcial, a prisão aconteceu após uma denúncia anônima – o padre foi surpreendido em um quarto de motel mantendo relações íntimas com quatro jovens, dois de 18 anos e dois menores de 13 e 15 anos.

O padre, que era auxiliar na paróquia Nossa Senhora Aparecida da Foz do Rio Anil (Cohafuma), está preso em uma das celas da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos, para onde foi levado após prestar depoimento da DPCA. Em 2002, ele tinha sido investigado pelo Ministério Público pela mesma acusação, mas o processo foi arquivado por falta de provas.

A prisão foi efetuada por policiais da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA). Nos últimos dois meses, a polícia estava investigando Félix Carreiro. “Realizamos campanas e o seguimos durante o período, mas só o vimos indo com jovens para um motel na madrugada de sábado”, contou a delegada Ana Karla Silvestre Fernandes.

“Durante as investigações, vimos o padre recebendo rapazes na igreja e na porta de sua casa, passeando com eles na Avenida Litorânea, onde ficavam bebendo e comendo, e o vimos levando os jovens de volta para suas casas. Isto acontecia com muita freqüência”.

O padre Félix Barbosa Carreiro também confessou que usava drogas com os garotos e que marcava os encontros pela internent. Ele deu dinheiro e presentes aos adolescentes para que eles saíssem.

O padre negou ter mantido relações sexuais com os garotos. “Saí com eles para me divertir. Jamais abusei dos meninos e sempre permaneci fiel às minhas obrigações com a Igreja. Não permito que me chamem de pedófilo”, salientou.

Os jovens encontrados com o religioso também depuseram na delegacia. “Eles confirmaram tudo: que o padre os levava para motéis, pagava coisas e lhes presenteava e pedia para que eles chamassem outros garotos”, disse Ana Karla Fernandes.

Na DPCA, as famílias dos menores encontrados com o padre Félix estavam revoltadas. “Estou me sentindo péssima, a minha vontade era de bater neste padre”, disse uma das mães. Ela afirmou que já desconfiava que algo de diferente acontecia com o filho e estava investigando. “Com 14 anos, ele passava o fim de semana sumido, faltava na escola. Agora estou sabendo que era com este padre que ele passava o tempo”.

O administrador da diocese de São Luís, Dom Paulo Ponte, lamentou a situação. “É uma coisa muito triste e dolorosa. Está claro que se trata de problemas de ordem psicológica. Por isso não podemos condenar sem dar espaço para ouvi-lo”, declarou. A Igreja Católica já disponibilizou um advogado para acompanhar o caso do padre Félix Carreiro. Internamente, a Igreja irá abrir um processo pastoral.
 

 

Jornal da Mídia

Notícias relacionadas

629 mil doses da vacina da Pfizer estão previstas para chegar ao Brasil nesta quarta

O Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), recebe, na noite desta quarta-feira (5), a segunda remessa de vacina contra a Covid-19 da Pfizer/BioNTech comprada pelo Ministério da Saúde. O…

Santander Becas abre seleção para especialização gratuita em Tecnologia da Informação

Estão sendo oferecidas 50 mil bolsas de estudo para curso on-line O Programa Santander Becas abriu as inscrições para as 50 mil bolsas de estudos disponibilizadas no curso de Tecnologia…