A Paraíba o tempo todo  |

Orkut ajuda polícia a identificar suspeitos de assaltos

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

O site de relacionamentos Orkut ajudou a Polícia Civil de São Paulo a identificar integrantes de uma quadrilha que assaltava condomínios e casas na região do Belém, na Zona Leste da capital paulista. Imóveis de estrangeiros eram os principais alvos do grupo, apelidado de “Bonde da Mooca”. Dois suspeitos de participação nos crimes foram presos na manhã desta segunda-feira (30).

De acordo com a polícia, os criminosos fizeram três assaltos em duas semanas. Em 3 de março, houve um furto a um condomínio e, nos dias 10 e 14, roubo a duas residências. Os casos foram registrados no 81º Distrito Policial, no Belém, por famílias de angolanos, bolivianos e orientais. Por meio de imagens de circuitos internos, a polícia identificou quatro dos seis suspeitos de integrarem a quadrilha.

 

Uma testemunha identificou no site de relacionamentos a imagem de um dos suspeitos. Os investigadores, então, vasculharam comunidades e o perfil das pessoas que nelas estavam. A polícia acredita que suspeitos deixaram as comunidades após o início da investigação.

Estrangeiros

As vítimas escolhidas eram estrangeiras, segundo a polícia, porque os criminosos esperavam que elas guardassem dinheiro em casa. Além disso, tinham a falsa ideia de que os estrangeiros não denunciariam os assaltos.

Em um dos casos, a investigação mostrou que os homens tiveram o acesso facilitado por um morador do condomínio. Durante outro assalto, os integrantes da quadrilha estavam vestidos como funcionários de uma empresa de telefonia, com uniformes e crachás falsos.

 

Os dois suspeitos, de 25 e 22 anos, foram presos na região do Belém. De acordo com a polícia, eles foram reconhecidos por seis vítimas. Os suspeitos foram indiciados por roubo, furto e formação de quadrilha. A polícia procura os outros supostos integrantes do grupo.

G1

 

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe