Por pbagora.com.br

Com o trabalho focado em dar ao texto da Reforma Tributária a transparência necessária, mas sem aumentar a carga de tributos já existente no Brasil, o relator da comissão mista do Congresso que trata sobre o tema, deputado federal Aguinaldo Ribeiro (Progressistas) afirmou que a sua convicção é de que um novo imposto, nos moldes da antiga CPMF só criará mais distorção e cumulatividade.

Aguinaldo destacou que essa não é uma ideia razoável e não entrará no relatório da Reforma Tributária.

“Estamos trabalhando por um texto amplo e que reestruture o sistema atual, sem aumento da carga tributária. Um modelo mais simples, justo e transparente vai permitir a retomada do crescimento e a entrada de investimentos no país” detalhou.

Aguinaldo disse ainda que não existe referência nenhuma de países que tratam tributação sobre o consumo, tendo tributação neste sentido, a não ser países que possuem outras características divergentes das do Brasil.

“Países como o Brasil, que são grandes economias emergentes, não adotam esse tipo de tributação” enfatizou.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Eleitor poderá justificar ausência na votação pelo celular

As lojas de aplicativo de celular (app) colocam à disposição nesta quarta-feira (30) uma nova versão do e-Título com mais funcionalidades. O recurso eletrônico possibilitará a justificativa de ausência nas votações…

“Infelizmente para os demagogos e comunistas” polemiza Bolsonaro ao defender fim do auxílio

O presidente Jair Bolsonaro declarou nesta terça-feira (29) que o fim do auxílio emergencial será a infelicidade dos “demagogos e comunistas”. Em seu twitter, além de lançar a polêmica, Bolsonaro…