Por pbagora.com.br

Com o trabalho focado em dar ao texto da Reforma Tributária a transparência necessária, mas sem aumentar a carga de tributos já existente no Brasil, o relator da comissão mista do Congresso que trata sobre o tema, deputado federal Aguinaldo Ribeiro (Progressistas) afirmou que a sua convicção é de que um novo imposto, nos moldes da antiga CPMF só criará mais distorção e cumulatividade.

Aguinaldo destacou que essa não é uma ideia razoável e não entrará no relatório da Reforma Tributária.

“Estamos trabalhando por um texto amplo e que reestruture o sistema atual, sem aumento da carga tributária. Um modelo mais simples, justo e transparente vai permitir a retomada do crescimento e a entrada de investimentos no país” detalhou.

Aguinaldo disse ainda que não existe referência nenhuma de países que tratam tributação sobre o consumo, tendo tributação neste sentido, a não ser países que possuem outras características divergentes das do Brasil.

“Países como o Brasil, que são grandes economias emergentes, não adotam esse tipo de tributação” enfatizou.

PB Agora

Notícias relacionadas

Senado aprova PEC do auxílio emergencial em 2º turno

Um dia após o país registrar novo recorde de mortes pela covid-19, o Senado aprovou nesta quinta-feira (04/03) a PEC Emergencial, proposta de alteração da Constituição que cria mecanismos para…